Quinta-feira, 13 de Maio de 2021

Polícia
Sábado, 01 de Maio de 2021, 14h:00

zona rural de Juruena

Morte ordenada por facção é investigada pela PJC em MT

Fonte: Pagina do Estado

Divulgação

Inquérito que investiga a morte de Wanderson Costa Pacheco, 22, encontrado morto na terça-feira (27), em uma estrada de chão na zona rural de Juruena (880 km ao Noroeste de Cuiabá) vai apontar a motivação do crime cometido por dois homens, membros do Comando Vermelho. Eles chegaram a filmar a ação e, antes de matar a vítima, pedem para que ele ‘peça desculpas à família’, que no caso é a facção criminosa.

Ao GD, o delegado Philipe de Paula da Silva Pinho informou que a motivação do assassinato ainda está sob investigação. “Mas, a briga na frente do banco, após terem saído da agência, faz supor que seja por dívida”, lembra.

Delegado faz referência às imagens de uma câmera de segurança que flagraram a vítima junto com os dois suspeitos na porta de um banco. Horas depois, Wanderson já foi encontrado sem vida e o vídeo que mostra sua morte circulava nas redes sociais.

“Mas, não há certeza de que seja essa motivação. Hoje as facções não vivem só do tráfico de drogas. Pode ser um dívida oriunda de golpes, furtos, armas fornecidas pela facção, etc”, explicou Philipe.

 

Dois homens foram presos pelo crime, um de 29 anos e outro de 19. Conforme apontado pelos policiais, o primeiro foi quem gravou toda a ação. Já o segundo foi o responsável pelas ameaças e pelos tiros. “O juiz decretou que temos 30 dias para concluir as investigações, justamente pela complexidade”.

Minutos de terror

Nas imagens, Wanderson aparece sentado às margens de uma estrada de terra, na zona rural da cidade. Um dos suspeitos filma e o outro concretiza o crime, mas antes, o questiona: “você pede perdão à família?”, diz. “Fala, família, me perdoa. Não fala nome. Se levantar eu atiro”, continua o suspeito enquanto a vítima aparece agoniada e pedindo para não atirar.

“Você não vai atirar em mim não, né? Eu não fiz nada errado”, questiona Wanderson, e o assassino responde “não. Essa é a humilhação do senhor, melhor isso que um tiro na cara”. Vítima ainda pede para eles desligarem a câmera, mas o suspeito fala que não vai.

Diz ainda que primeiro vai gravar e que depois eles conversam e diz que ‘não vou atirar no senhor, não’. Vítima insiste para ele abaixar a arma, o suspeito perde a paciência e diz: vou atirar nesse cara e dispara 6 tiros contra a vítima.

 
 
 
Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.