Segunda-feira, 02 de Agosto de 2021

Polícia
Quinta-feira, 15 de Julho de 2021, 09h:36

MANÍACO DO NORTE

Homem confessa que matou esposa a marretadas por ciúmes em MT

Georileis Cardoso estava em uma lanchonete na prisão

Fonte: Folha Max

Divulgação

Georileis Cardoso da Silva, de 54 anos, foi preso na tarde desta quarta-feira (14) em uma lanchonete, localizada às margens da BR-163 região rural de Sinop (479 km de Cuiabá). O homem é o autor do homicídio contra a vítima Francinete Silva dos Santos, 32 anos, morta com golpes de marreta na cabeça.

O crime aconteceu na última sexta-feira (09), na residência do casal e na frente dos filhos da vítima. O acusado confessou o crime e disse que teria cometido o homicído por ciúmes. 

Segundo informações, Georileis estava escondido em uma residência no bairro Gente Feliz. Ele estava sendo procurado pela Polícia Civil desde o dia do crime.

O casal tinha um relacionamento conturbado e com registro de diversas agressões. A morte cerebral da vítima foi divulgada na última segunda-feira (12), porém, era aguardado a confirmação oficial por parte dos médicos, o que foi decretada na data de ontem.

De acordo com o boletim de ocorrência, o crime aconteceu na residência do casal localizada na Rua 01, do bairro Montreal Park em frente aos filhos dela. Além dos filhos do casal, os vizinhos também presenciaram as agressões e acionaram a Polícia Militar.

Mas, quando os militares chegaram na residência, o suspeito fugiu pulando alguns muros. O Corpo de Bombeiros foi acionado e encontrou a mulher caída em frente à residência.

Ela apresentava diversas escoriações e lesões na cabeça. O estado de saúde dela era considerado grave.

 

Após as agressões o marido, identificado como Domingos Cardoso da Silva, 52 anos, fez uma cova para que, se ela viesse a morrer, o corpo pudesse ser enterrado.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.