Domingo, 28 de Novembro de 2021

Geral
Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021, 10h:12

Pecuária e Abastecimento (Mapa)

MAPA SUSPENDE EXPORTAÇÃO DE CARNE BOVINA À CHINA E ARROBA DEVE CAIR MAIS

Fonte: matogrossoeconomico

Divulgação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou, por meio de um ofício-circular a suspensão das exportações de carne bovina para a China. A medida foi tomada devido ao embargo das exportações brasileiras ao país asiático, que já dura 45 dias.

Conforme noticiado pelo Mato Grosso Econômico, dois casos atípicos do mal da vaca louca, constatados em Mato Grosso e Minas Gerais, fizeram a China interromper, no dia 4 de setembro, a compra de carne bovina brasileira. Com a paralisação e a demora na autorização da importação do produto por parte das autoridades chinesas, o governo brasileiro decidiu suspender novas produções.

A China é o maior mercado consumidor da pauta de produtos agropecuários de Mato Grosso, respondendo, até setembro, por pouco mais de 36% de tudo que o Estado faturou em 2021.

Com o represamento da produção, a expectativa do mercado é de que os volumes que teriam como destino o exterior, sejam liberados no mercado interno, flexibilizando os preços de gôndolas do quilo da carne.

O documento, endereçado aos chefes dos Serviços de Inspeção de Produtos de Origem Animal, à Coordenação-Geral de Inspeção e à Coordenação-Geral de Controle e Avaliação do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, autoriza os estabelecimentos processadores de carne bovina que estão habilitados a vender aos chineses a estocar a proteína em contêineres refrigerados, desde que tenham sido produzidas antes da data da suspensão. A medida é válida por 60 dias.

Tais estabelecimentos deverão dispor de estrutura adequada para o funcionamento contínuo dos equipamentos, realizando o monitoramento frequente e diário de seu funcionamento. Relatórios contemplando o quantidade de contêineres, sua localização e as informações de controle de temperatura deverão ser apresentados ao SIF sempre que solicitado.

MATO GROSSO – Conforme os analistas do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o mercado já esperava que o preço da arroba fosse despencar em setembro como consequência do caos originado pela confirmação da doença da “vaca louca”. “No entanto, em Mato Grosso o recuo foi ainda mais intenso, de 4,74% ante o mês de agosto e o indicador ficou cotado na média de R$ 286,71/@. Já em São Paulo, a queda foi de 4,12% e a arroba foi precificada a R$ 303,43/@, sendo ambas as cotações livres de impostos”.

Esse movimento foi impulsionado pela menor demanda dos frigoríficos, que passaram a reduzir suas compras diante dos estoques elevados. Para outubro, o cenário ainda é de tensão no mercado, uma vez que a China ainda não retornou suas compras e, no comparativo da 1° quinzena de outubro os preços já recuaram 8,33% em Mato Grosso e 8,65% em São Paulo, acrescentam os analistas.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.