Segunda-feira, 02 de Agosto de 2021

Cidades
Quinta-feira, 08 de Julho de 2021, 09h:28

Deputado estadual Filippe Poubel um dos sócios

Polícia irá colher novos depoimentos sobre suposto estupro em boate de Cabo Frio

Deputado estadual Filippe Poubel (PSL), um dos sócios do estabelecimento, gravou vídeo em que afirma haver 'tentativa de assassinato de reputação'. Ele não é acusado no caso

Fonte: o Dia RJ

Divulgação

A Polícia Civil já ouviu testemunhas e deve colher novos depoimentos nesta quinta-feira (8) de pessoas que estiveram na boate Buda Beach, em Cabo Frio, onde uma mulher de 34 anos afirma ter sido estuprada por funcionários durante uma festa privada, no dia 8 de maio. A Delegacia de Atendimento à Mulher de Cabo Frio, que investiga o caso, analisa câmeras de segurança e já coletou o casaco da vítima para confrontar o material genético.
 
A boate pertence ao deputado Filippe Poubel (PSL) e ao policial militar Diogo Souza, o Capitão Diogo, candidato às últimas eleições para prefeito de Cabo Frio. Eles não são acusados do crime. Procurado pelo DIA, Diogo sustentou a versão de que não houve estupro, e que o homem apontado pela vítima não seria funcionário do estabelecimento, mas de sim de uma outra casa do qual é sócio, e estaria de folga na noite da festa.

 
"O amigo dela, no dia, estava gritando que a casa ia pagar muito dinheiro a ele. Ela, meia hora antes, estava bem. E depois de meia hora já estava falando comigo novamente, como se nesse período ela não se lembrasse do que aconteceu. Me causa muita estranheza uma pessoa ficar inconsciente apenas por um período. Inclusive, depois do suposto fato ela permaneceu na frente da casa por horas. Eu ofereci ao amigo dela, que se ele achasse que teria acontecido algum tipo de crime, eu os levaria imediatamente na delegacia para prestar queixa", disse o policial. "A gente não tem nada a esconder. A gente não aceita qualquer tipo de coisa errada", completou.
Em entrevista à TV Globo, a mulher afirma ter sido levada para o segundo andar da casa, onde teria ocorrido o estupro. Ela diz se recordar de homens de uniforme, o que pode contradizer a versão de Diogo de que não eram funcionários da casa.

 
"Eu tinha uma ideia que o segundo andar era tipo uma espécie de área VIP, camarote, algo assim, que me chamaram, não lembro realmente como fui parar lá. Lembro quando uma amiga chegou lá em cima e tentou me acordar, não consegui e vi um vulto. Um deles estava de uniforme", disse ela.
Os homens que estavam próximos da vítima tiveram o DNA recolhido e serão confrontados com o material genético encontrado no agasalho da mulher.

 
Deputado fala em 'tentativa de assassinato de reputação'
Nas redes sociais, o deputado Poubel gravou um vídeo em que afirma haver uma "tentativa de assassinato de reputação" por conta de seu nome estar associado ao caso, "por parte de alguns veículos de com que notificam o fato como acusado". "Isso é um absurdo e não vou tolerar. É publico que existe investigação sobre um possível estupro que teria acontecido em um estabelecimento do qual sou sócio. Irei depor de maneira voluntária. O maior interessado em esclarecer os fatos sou eu", disse em vídeo.

 
Poubel afirmou ainda que se solidariza com as vítimas e reforçou que irá espontaneamente à delegacia prestar depoimento, apesar de não ter sido notificado oficialmente.
A boate, que chegou a ser notificada por promover aglomeração durante a pandemia, segue funcionando normalmente. Não há informação se os supostos funcionários foram desligados da empresa.
Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.