UTB manda cobradores dar calote em clientes para cobrir prejuízos e lanches para funcionários

Reprodução/redes sociais

A União Transporte Brasília (UTB), responsável pelos transportes para as cidades do entorno do Distrito Federal, vem praticando o tão conhecido “golpe do troco”, para cobrir os prejuízos como: assaltos a ônibus, manutenção em veículos e até lanches para funcionários. As informações são de uma denúncia anônima de um ex-cobrador da empresa que não quis se identificar temendo uma represália.

“Quando você pegar um coletivo para as cidades Ocidental, Valparaíso de Goiás entre outras, onde as passagens custam entre R$ 4,45 e 4,95, ao pagar a passagem com R$ 5,00 e R$ 10,00 e passando por distraído, você receberá um calote de R$ 0,05, os cobradores não devolvem os R$ 0,05 e a desculpa mais utilizada por eles é que faltam moedas. Na verdade, os chefes pedem para que a gente diga isso, porém, tem cliente que não aceita. ” disse.

Durante alguns meses após a denúncia do ex-cobrador da empresa, nossa equipe pediu para que alguns colaboradores tirassem a prova dos 9. Ou melhor, “a prova dos R$ 0,05”.

O resultado não poderia ser outro. Nossos colaboradores pagavam a passagem, ficavam próximo à catraca dos coletivos e percebiam que outros passageiros também não recebiam o troco, alguns até reclamam na hora, mas outros deixam para lá.

“Pode não ser nada no momento, mas em um cofrinho por ano, já se equivale ao valor total do transporte por mês”, disse o passageiro que reclamou.

De acordo com nossos cálculos matemáticos, o lucro para a empresa com esse tipo de corrupção é de aproximadamente 5 reais por viagem em cada coletivo.

Segundo alguns passageiros, funcionários e até ex-funcionários da empresa que não quiseram se identificar, essa é uma prática comum e antiga da empresa, os responsáveis pelas linhas orientam os cobradores a darem o famoso “golpe do troco”.

“Deve haver alguém recebendo propina por aí para fazer vista grossa diante da situação, a moda agora é essa” ironiza a estudante e passageira Thainara Silva 26 anos.

A UTB prefere não falar sobre o assunto.

Em nota, a ANTT informa que: ” Regula e fiscaliza o serviço de transporte de passageiros (interestadual , internacional e semiurbano).

Eventuais condutas de funcionários da UTB são de responsabilidade da empresa prestadora do serviço.

A ANTT irá apurar junto a direção da empresa o fato ocorrido. A ANTT não autoriza arredondamento de tarifas.

Os passageiros que observarem qualquer irregularidade, ou que tiverem dúvidas/sugestões, podem fazer uma denúncia à Ouvidoria da ANTT pelos seguintes canais de atendimento:

Telefone 166; E-mail ouvidoria@antt.gov.br;

Ou na página da Agência (www.antt.gov.br) na “aba” Fale Conosco;

e/ou pessoalmente, nos pontos de atendimento da ANTT, nas principais rodoviárias do país”.

Da redação

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*