Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019

Turismo
Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019, 14h:27

Sustentabilidade

Conheça a primeira piscina pública do mundo tratada por plantas filtrantes

Hypeness

Se piscinas são sinônimo de diversão e prazer, muitas vezes também são um verdadeiro poço de produtos químicos, utilizados para filtrar, clarificar e limpar a água. Em Edmonton, capital da província de Alberta, no Canadá, esse mal necessário dos químicos na água tornou-se pela primeira vez inútil, ao menos em uma piscina pública: no Parque Borden, um espaço de recreação e exercícios com parque infantil, áreas verdes e arte, uma piscina totalmente natural foi inaugurada, utilizando um ecossistema natural para limpar as águas.

Para manter a água cristalina e efetivamente limpa, o parque utiliza combinações diversas entre pedra, cascalho, plantas, algas e areia. Além do processo totalmente natural de filtragem e limpeza, a piscina foi planejada pelo escritório de arquitetura gh3, que ajudou a integrar a piscina ao ambiente do parque e tornar a solução natural também uma bela solução arquitetônica. Vale lembrar que a piscina do Parque Borden foi aprovada pelos regulamentos sanitários para piscinas públicas no país.

Intitulado “Água viva”, o processo de filtragem natural se dá através plantas aquáticas, cascalho e zooplâncton, que removem as bactérias e algas como em um pântano. Através de um sistema de constante circulação, a água atravessa um lago de areia e pedra, um lago hidro botânico e um filtro granular feito com paredes de gabião – para só então retornar à piscina, devidamente filtrada.

Pelo projeto da piscina pública do Parque Borden, o escritório gh3 recebeu um prêmio em excelência e inovação em Arquitetura. O local também possui um deck de madeira e solo de areia, integrando ainda mais a piscina ao ambiente natural que a rodeia.

 

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.