Tratamentos de diferentes áreas da saúde se complementam para levar ao paciente uma vida mais saudável

Com as descobertas sobre o corpo humano, as áreas da saúde estão cada vez mais interligadas. Acompanhamento nutricional, por exemplo, é coadjuvante em vários tratamentos clínicos. O mesmo acontece com a psicologia. Quem ganha com a união das diferentes práticas de cuidado é o paciente, pois a prescrição leva em consideração todo o metabolismo.

Após o diagnóstico médico o tratamento tem maior eficácia. Alguns distúrbios, como aqueles causados pelo estresse, podem ser tratados buscando reequilibrar as emoções com acompanhamento psicológico e reorganizando os hormônios do funcionamento do corpo com tratamento nutricional.

Um caso positivo de tratamento em conjunto dessas áreas é para Síndrome de Cushing. A doença ocorre quando há excesso de cortisol no organismo. O controle do cortisol, que tem sua liberação aumentada em caso de estresse, ajuda a reduzir inflamações, contribui para o sistema imunológico, além de manter os níveis de açúcar no sangue constantes e a pressão arterial também.

“Quando estresse do indivíduo é constante, o corpo pode liberar altas doses de cortisol.  O elevado nível do hormônio pode causar perda de massa muscular, aumento de peso, diminuição de testosterona, sintomas que ocorrem, por exemplo, na Síndrome de Cushing, onde há um excesso na liberação desse hormônio”, explica o nutricionista Fernando Castro. A doença também pode ser causada por uso contínuo de medicamentos a base de corticóides ou tumor na glândula supra renal.

A especialista em psicologia familiar Lia Clerot defende que o tratamento prescrito seja realizado em conjunto com outras áreas de cuidado à saúde. “É preciso tratar tanto os sintomas da doença quanto a causa. Por isso, é importante, no caso de síndromes causadas pelo estresse, os diferentes profissionais que assistem o paciente alinhem o acompanhamento clínico para cura do organismo como um todo”, pondera.

O rápido aumento de peso, acúmulo de gordura na região abdominal e no rosto, desenvolvimento de estrias vermelhas no corpo e pele oleosa com tendência à acne são sintomas da Síndrome de Cushing. O diagnóstico pode ser feito através de um exame de sangue, urina ou ressonância magnética, a síndrome pode causar obesidade e depressão, e por vezes pode não ser diagnosticada corretamente.

“É comum vermos amigos e familiares colocarem o trabalho acima até mesmo da saúde. Distúrbios do metabolismo e emocionais ficam camuflados na rotina acelerada. O terapeuta auxilia o paciente a identificar o problema e orienta sobre os tratamentos mais adequados”, conta Lia Clerot.

Segundo o nutricionista Fernando Castro, diminuir o consumo de sal e açúcar e comer diariamente frutas e vegetais ajuda a reduzir os efeitos negativos da liberação crônica do cortisol, porém é de fundamental importância passar por uma avaliação médica e entender a causa do problema: “A adequação correta do valor calórico, a quantidade de carboidratos certa e oferta de vitaminas são importantes para ajudar o corpo a se recuperar dos efeitos de uma grande produção de cortisol, porém é importante avaliação médica para o diagnóstico correto da causa da alta produção do hormônio” Explica o profissional.

Suênia Dantas
PREZZ COMUNICAÇÃO

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*