Segunda-feira, 19 de Abril de 2021

Política
Segunda-feira, 01 de Março de 2021, 18h:40

Reafirma: 4 parcelas de R$ 250

“O nome é auxílio, não é aposentadoria”, diz Bolsonaro sobre coronavoucher

Reafirma: 4 parcelas de R$ 250 “Está quase tudo certo”, diz

Fonte: Poder 360

Sergio Lima/Poder360 - 24.fev.2021

O presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores nesta 2ª feira (1º.mar.2021) que “está quase tudo certo” para a definição dos valores das novas parcelas do auxílio emergencial. Segundo ele, o coronavoucher – como o auxílio é chamado pelo governo–, deve ter uma nova rodada de 4 parcelas de R$ 250.

“Ontem tive uma reunião de 3 horas à noite, aqui [no Palácio da Alvorada], R$ 250 por 4 meses”, disse em frente à residência oficial.

O presidente criticou aqueles que reclamam do valor do benefício. “Alguns reclamam que é muito pouco. Meu Deus do céu, alguém sabe quanto custa esse auxílio para todos vocês brasileiros? O nome é auxílio, não é aposentadoria”, disse.

Bolsonaro voltou a dizer ainda que a extensão do coronavoucher trará endividamento à União. “Não é dinheiro no cofre não, é endividamento”.

VACINAS

Na conversa com apoiadores, Bolsonaro afirmou que o Brasil deve ter, no mínimo, 22 milhões de doses de vacinas disponíveis em março.

“Alguns criticam o Brasil, me criticam. A vacina a gente só podia comprar depois que a Anvisa autorizar. Vou comprar qualquer negócio que aparecer aí?”, disse.

Mais cedo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que o governo federal entregará 140 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 aos Estados até maio deste ano.

De acordo com Lira, o assunto foi tratado em encontro na noite de domingo (28.fev) que reuniu Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e os ministros Eduardo Pazuello (Saúde), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Braga Netto (Casa Civil).

A previsão apresentada na reunião, segundo Lira, é que de 40 milhões a 50 milhões de pessoas estejam vacinadas antes do início de junho. E ainda, que todos os brasileiros acima de 60 anos e outros em situação de vulnerabilidade sejam vacinados até o final de maio.

Ao comentar o ritmo de vacinação avançado em Israel, o presidente Jair Bolsonaro disse que a população é muito menor que a do Brasil. Afirmou ainda que as características geográficas, populacionais e políticas israelenses são diferentes das brasileiras.

“É um outro país, não tem uma gota de petróleo, não tem terra fértil, não tem água nem nada. Só que tem um povo realmente que se dedica. E tem uns políticos diferentes dos nossos aqui também, onde eu me incluo”, disse. Completou afirmando: “É uma crítica geral. Não estou criticando os outros não, estou criticando todo mundo aí”, disse.

 

 
Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.