Quinta-feira, 04 de Junho de 2020

Política
Terça-feira, 17 de Março de 2020, 13h:28

CORONAVIRUS

Júlio: “Interesse do povo deve estar à frente da questão política”

O ex-governador Júlio Campos (DEM) é mais um entre os candidatos ao Senado em Mato Grosso a defender o adiamento da eleição suplementar marcada para 26 de abril.

 

A preocupação é decorrente da pandemia do Covid-19 (novo coronavírus) que já teve, inclusive, o primeiro caso confirmado em Mato Grosso na segunda-feira (16). O paciente ainda será submetido à contraprova.

 

“A saúde da família mato-grossense, sobretudo dos mais carentes, que são os que mais sofrem em casos de surtos e calamidade pública, deve ser preservada.

Temos que colocar os interesses do povo sempre à frente das questões políticas”, disse Júlio, em nota encaminhada à imprensa.

 

 

Se o governo e o Supremo Tribunal Federal julgarem não ser seguro, vamos esperar por uma data mais oportuna

O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta se reuniu ontem com os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para conversar sobre a possibilidade de adiamento da eleição.

 

A informação foi divulgada pela coluna Painel, do jornal a Folha do São Paulo, mas ainda não há uma resposta sobre o assunto.

 

“Se o governo e o Supremo Tribunal Federal julgarem não ser seguro, vamos esperar por uma data mais oportuna”, acrescentou Júlio Campos.

 

 A eleição suplementar foi marcada em razão da cassação da senadora Selma Arruda (Podemos) por caixa 2 e abuso do poder econômico.

 

Caso em MT

 

O Hospital Santa Rosa em Cuiabá informou, na tarde de segunda (16), que o paciente que testou positivo para o coronavírus em um primeiro exame é um homem de 48 anos que chegou recentemente da Itália.

 

O país europeu é um dos mais atingidos pela pandemia.

 

Em nota, o hospital afirmou que ele segue estável, sendo monitorizado em isolamento respiratório e realiza exames diagnósticos para avaliar uma possível internação.

 

A unidade de saúde disse que aguarda o resultado da contraprova.

 

Em Mato Grosso, os poderes e instituições já anunciaram uma série de medidas para conter o avanço da doença. Entre os quais, dispensa de servidores em faixa de risco, suspensão de aulas, imposição de teletrabalho a pessoas que estiverem em países afetados, dentre outras.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.