Quinta-feira, 02 de Julho de 2020

Política
Quinta-feira, 16 de Janeiro de 2020, 08h:48

Eleições 2020

Ano eleitoral deve atrapalhar ritmo de votações na Câmara, avalia deputado

Pautas prioritárias terão que ser aprovadas ainda no primeiro semestre

Mídia Max

Votações de projetos importantes terão que ser apressadas no primeiro semestre do ano, pois a partir de junho as eleições municipais devem diminuir o ritmo de trabalho na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF).

A avaliação é do deputado federal Fábio Trad (PSD). “Minha impressão é que a partir de junho, a Casa se volte para as eleições municipais”, afirmou o parlamentar, em resposta em levantamento do Jornal Midiamax sobre as pautas prioritárias para discussão pela bancada federal.

Com a mudança de foco, será preciso acelerar os trabalhos após o recesso. Para o deputado deverão ser priorizados na pauta projetos relacionados à reforma tributária e administrativa; auxílio financeiro aos estados e municípios com a Lei Mansueto; quarentena ampliada para juízes e promotores; reforma do CPP (Código de Processo Penal); e PECs (Propostas de Emenda Constitucional) pelo fim do foro privilegiado para todas as autoridades e prisão após segunda instância.

Outra proposta que o parlamentar quer ver incluída ainda na pauta do primeiro semestre é o que criminaliza o assédio obsessivo conhecido como stalking, de sua autoria. Sobre os planos legislativos, o pessedista afirmou que aguarda a votação de projetos já apresentados e irá se dedicar a eles ao invés de propor novos. As propostas em discussão contemplam as áreas da educação, saúde, legislação penal, processual penal, eleitoral e tributária.

Os oito deputados federais e três senadores sul-mato-grossenses que compõem a bancada federal de MS foram questionados sobre as perspectivas para o ano Legislativo e seus posicionamentos serão veiculados conforme forem se pronunciando.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.