Domingo, 27 de Setembro de 2020

Polícia
Quinta-feira, 25 de Outubro de 2018, 17h:51

Mato Grosso

Travesti é presa em flagrante após matar garota de programa a pedradas em Cuiabá

Da Redação

Assessoria

A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) realizou a prisão em flagrante de uma travesti, suspeita de matar uma garota de programa na madrugada desta quinta-feira (25), na Capital.

A vítima E.R.M, 43, foi encontrada inconsciente em frente a um ginásio no bairro CPA 3, por volta da meia-noite. Após ser acionada pela Polícia Militar, uma equipe do Samu constatou o óbito da mulher. Durante atendimento da ocorrência uma travesti que estava no local se apresentou como testemunha do crime. Ela apresentava as mãos sujas de sangue e justificou que havia tentado reanimar a vítima.

Com a chegada da equipe da Polícia Civil (DHPP) a travesti começou a iniciar uma série de contradições – que a vítima estava atendendo 04 clientes ao mesmo tempo, depois que era um apenas, etc. Também apresentou nome falso aos policiais e foi conduzida a delegacia para esclarecimentos.

Na unidade policial ela foi identificada com o nome de registro de Adelmar de Carvalho Amorim, 31, (nome social: “Michele Latrocínia”). Ela possui ao menos seis passagens criminais, incluindo roubos, ameaças e um homicídio anterior.

Durante o procedimento de interrogatório, a travesti acabou confessando o crime e disse que apedrejou a vítima por desentendimento referente a compra de entorpecentes. Michele declarou que havia dado dinheiro para que a colega comprasse drogas para ambas, o que não veio a ocorrer.

A travesti foi autuada em flagrante pela delegada Jannira Laranjeira pelo crime de homicídio qualificado. Após os procedimentos de praxe na delegacia e recolha de material a ser periciado, Michele será encaminhada para audiência de custódia, no Fórum da Capital.

 

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.