Segunda-feira, 19 de Abril de 2021

Polícia
Terça-feira, 02 de Março de 2021, 07h:50

o feminicídio ocorreu no estado do Espírito Santo

Homem é preso em MT após matar ex-esposa no ES

Fonte: Página do Estado

Divulgação

O autor de um crime de feminicídio ocorrido no estado do Espírito Santo foi preso pela Polícia Civil de Mato Grosso, na sexta-feira (26.02), após ser localizado na cidade de Sinop (499 km ao norte de Cuiabá). O suspeito apontado como autor da morte de sua ex-mulher, foi preso na operação “Covardia”, deflagrada pela Delegacia de Polícia de Guaçuí (ES) com apoio da Divisão de Homicídio e Proteção a Pessoa de Sinop e do Serviço Reservado da 2ª Cia e 3º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo.

O crime que vitimou, Érica de Jesus Bonometti, 31 anos, ocorreu no mês de dezembro de 2020, na cidade de Guacuí (ES), motivado pelo fato de o suspeito não aceitar a separação. No dia do crime, ele estava perseguindo a ex-companheira e chegou a bater no carro da amiga dela para conseguir alcançá-la.

A vítima foi tirada do carro da amiga a força e colocada no carro do suspeito, sendo o seu corpo encontrado momentos depois em uma estrada na zona rural do município. O inquérito foi finalizado em janeiro de 2021 com o indiciamento do suspeito por feminicídio, assim como com a representação pelo mandado e prisão.

Com informações de que o foragido estava morando na cidade de Sinop, a Polícia Civil do Espírito Santo entrou em contato com os policiais civis município para dar apoio na sua prisão.

Diante das informações passadas, os policiais da Divisão de Homicídios de Sinop conseguiram localizar o suspeito em uma marmorária, no bairro Sáfira, para onde ele já havia prestado serviço anteriormente.

Após ter o mandado de prisão cumprido, o foragido foi encaminhado à Delegacia de Sinop para as providências cabíveis.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.