Quinta-feira, 26 de Novembro de 2020

O Bocão
Sexta-feira, 07 de Fevereiro de 2020, 16h:10

Moro diz ser medida preventiva

Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas em penitenciária em Brasília

Fonte: Poder 360

Mateus Maia/Poder360 - 7.fev.2020

O governo federal autorizou nesta 6ª feira (7.fev.2020) a utilização das Forças Armadas em operação de GLO (Garantia da Lei e da Ordem) na penitenciária federal de Brasília. É lá que está preso o líder da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola. O ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) afirmou que as medidas são apenas preventivas. Eis a íntegra.

“O governo está sempre adiante dos criminosos. A ideia é previnir qualquer tentativa de 1 eventual resgate. Claro, colocando ali uma GLO, isso vai ser prevenido totalmente”, afirmou.

A decisão atendeu pedido do Ministério da Justiça e Segurança Pública com o objetivo de se manter elevado nível de segurança do local onde estão isolados integrantes de organizações criminosas. A medida começa a valer a partir desta 6ª feira (7.fev) e vai até 6 de maio.

“A ação faz parte de uma série de medidas preventivas que vêm sendo feitas de forma integrada pelos 2 ministérios e que terão continuidade”, informou a pasta em nota.

Questionado se a segurança pública do Distrito Federal não seria suficiente para conter possíveis ameaças de fuga dos criminosos da penitenciária, Moro buscou tranquilizar a população.

“O governo federal está se antecipando a qualquer espécie de problema e tomando medidas severas para garantir a segurança pública. Não existe qualquer risco à população, [nisso] pode ficar extremamente tranquila”, declarou.

Ele disse, contudo, que pelo nível de poder dos presos no local alvo da GLO é sempre possível que haja planos e tentativas de escapar do cárcere.

“Nós já estávamos tomando uma série medidas a esse respeito. A população pode ficar bem tranquila, está muito segura e o governo sempre se antecipando aos criminosos. São criminosos que tem que ter medo do governo e não o contrário”, completou.

Marcola e outros presos foram transferidos para Brasília ainda em 2019. Ele foi condenado a 330 anos por diversos crimes. Estava, anteriormente, em Rondônia, quando o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) autorizou sua transferência do presídio estadual de Presidente Venceslau, no interior paulista, para a unidade federal no Norte do país.

Além do criminoso, outros 21 integrantes foram transferidos após a descoberta de 1 plano de fuga. Na ocasião, 12 foram para Rondônia, 7 para Mossoró (RN) e outros 3 para Brasília. A cúpula estava concentrada na unidade de Porto Velho.

Com a vinda para Brasília, o líder do PCC passa a estar na mesma prisão que seu irmão mais novo, Alejandro Juvenal Herbas Camacho Júnior, o Marcolinha. Ele foi condenado a 104 anos, 8 meses e 23 dias de prisão por crimes como associação para o tráfico de drogas, tráfico de drogas, roubo qualificado e formação de quadrilha.

Recebidos em embaixada

Moro explicou a decisão com jornalistas nesta 6ª feira (7.fev) durante visita à embaixada da Espanha em Brasília. Lá, ele, o embaixador Fernando Garcia Casas e o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, celebraram a extradição de 1 dos 1 dos autores de atentado cometido em Madri em 1977 que matou 5 pessoas.

O criminoso que foi enviado à Espanha é Carlos García Juliá, que passou 25 anos como foragido da Justiça.

“Viemos celebrar claro a cooperação entre Brasil e a Espanha contra o terrorismo. Foi encaminhado 1 terrorista que é procurado há muito tempo na Espanha responsável por 1 ataque que resultou em 5 assassinatos fora pessoas feridas”, afirmou.

Ele explicou que essa atitude representa a postura do governo brasileiro em colaborar com outros países em crimes como esse sem levar em conta questões políticas.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.