Sexta-feira, 30 de Julho de 2021

O Bocão
Terça-feira, 09 de Fevereiro de 2021, 08h:39

SUBORNO DE PERITO

Aprovação para FCO de R$ 2,3 milhões seria o preço de falsa perícia em ação do MPF contra Mauro Mendes

Depois de nomeado pelo juiz – e “contratado” pela defesa – perito forense Thyago Jorge Machado abriu uma tal Cervejaria Preis Bier em Santo Antonio de Leverger, que teve carta-consulta do FCO para crédito milionário aprovada por secretários estaduais em reunião do Codem aos 17 de novembro do ano passado; dali a três dias foi assinada a falsa perícia grafotécnica com o fim de impugnar a principal prova documental do MPF e livrar a cara do governador na ação de improbidade administrativa.


HAROLDO ASSUNÇÃO
Especial para o BRASIL NOTÍCIA


Escrevemos ontem a propósito do Panteão Grego, que a deusa Fortuna se engraçou para o lado do perito forense Thyago Jorge Machado nos três anos seguintes a novembro de 2017 quando foi nomeado pelo juiz federal César Augusto Bearsi para exame grafotécnico no laudo de avaliação da Minérios Salomão – em especial, nos três dias antes do perito chancelar a evidenciada falsa perícia de grafia, em 20 de novembro de 2020.


Errado.


Por imperdoável descuido foi a romana Fortuna incluída entre os deuses do Olimpo que a antecedem. A divindade helênica é Tique, guardiã da fortuna e prosperidade de uma cidade, seu destino e sorte — fosse ela boa ou ruim. 


De qualquer sorte, sorriu ao perito o Rei Midas – e o fez rir.


A responsabilidade do perito teria o condão de traçar o destino do governador Mauro Mendes Ferreira – seja ele bom ou ruim. A situação remete ainda à mitologia grega e traz à memória a lenda sobre a ‘espada de Dâmocles’, alusão à insegurança dos poderosos ante à possibilidade do poder lhes ser tomado de repente.


Narra o mito que Dâmocles era um cortesão bastante bajulador na corte do tirano Dionísio, de Siracusa. Dizia ele que Dionísio por exercer tamanho poder e autoridade era verdadeiramente afortunado. Dionísio ofereceu-se para trocar de lugar com ele por um dia, para que ele também pudesse sentir o gosto de toda esta sorte, sendo servido em ouro e prata, atendido por garotas de extraordinária beleza, e servido com as melhores comidas.


No meio de todo o luxo, Dionísio ordenou que uma espada fosse pendurada sobre o pescoço de Dâmocles, presa apenas por um fio de rabo de cavalo. Ao ver a espada afiada suspensa diretamente sobre sua cabeça, Dâmocles perdeu o interesse pela excelente comida e pelas belas garotas e abdicou de seu posto, dizendo que não queria mais ser tão afortunado.


POR UM FIO
O fio de rabo de cavalo que prende a espada suspensa sobre a jugular do governador Mauro Mendes ficaria seguro nas mãos do perito forense e a fortuna ou desgraça dele condicionada às conclusões do exame grafotécnico determinado a requerimento da defesa por ordem do magistrado.

MAURO MENDES

A eventual condenação de Mendes na ação de improbidade administrativa movida contra ele pelo Ministério Público Federal (MPF) pode o levar – por força de ordem judicial e bem antes do planejado, em 2026 – a levantar a bunda do trono e ser despejado do Palácio Paiaguás de mala e cuia e sem direito à reeleição. 

O perito

Iria ‘cair a casa’ do governador Mauro Mendes, fosse o exame grafotécnico fiel à verdade e atestada autêntica a assinatura do finado engenheiro de minas José Abílio Raimundo Manso da Rocha no laudo de avaliação da Minérios Salomão, estudo de fato por este executado no ano de 1999 em parceria com o geólogo Edson Franco Suscynzinski,  


Safar-se-ia por outro lado o governador Mauro Mendes se falsa perícia grafotécnica declarasse ‘inautêntico’ o laudo de avaliação da jazida aurífera e assim fosse impugnada a prova principal do MPF. 


Por aí se dá pra imaginar quanto custariam os tais “honorários” que seriam auferidos pelo perito que a defesa contratou.
A conta seria alta.

RECEITA CERVEJARIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CERVEJARIA PREIS BIER
No dia 11 de fevereiro de 2019, o perito Thyago Jorge Machado – que é servidor de carreira da Perícia e Identificação Oficial do Estado (Politec), além de dono da ForenseLab por meio da qual negocia laudos periciais diversos – resolveu ampliar os empreendimentos para a seara industrial e “abriu” a Cervejaria Preis Bier Ltda, cujas instalações estariam situadas no município de Santo Antônio de Leverger - à avenida 03, quadra 29, chácara 08, no loteamento Recreio Beira Rio. 


Oito dias depois, aos 19 de fevereiro de 2019, a marca “Preis Bier’ foi registrada em nome do perito, conforme publicado à página 09 da Revista de Propriedade Industrial - publicação oficial do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), órgão vinculado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.O capital social da empresa é de R$ 700 mil.


O montante corresponde a exatos 0,1% do valor atribuído à causa pelo MPF - R$ 700 milhões, correspondente à valoração da jazida expressa no laudo de avaliação elaborado em 1999.


Abstraída qualquer ilação acerca da origem dos R$ 700 mil investidos pelo perito Thyago Jorge Machado na tal ‘fábrica de cervejas’, é relevante observar que o quantum equivale aproximadamente ao total que ele recebe em salários na folha da Politec ao longo de três anos “trabalhados” – pelo que se tem notícia, goza há tempo de licença remunerada para interminável doutorado.

LICENÇA SEMA

 

 

 

 

 

 

 

LICENCIAMENTO A JATO
Depois que foi ‘aberta’ a tal Cervejaria Preis Bier, transcorreu pouco mais de um ano entre o requerimento e a expedição das licenças ambientais para instalação da ‘fábrica de cervejas’, perfuração de poço artesiano e captação de água do lençol subterrâneo – tudo autorizado sem embaraços sob as bênçãos da titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Mauren Lazzaretti.


O requerimento das licenças prévia (LP) e de instalação (LI) para o empreendimento cervejeiro foi publicado à página 163 na edição nº 27.504 do Diário Oficial do Estado de Mato Grosso (DOE/MT) e descrevia instalações em área construída de 1,08 mil metros quadrados incluído estacionamento - na localização geográfica definida pelas coordenadas 15 graus 50 minutos 3,86 segundos latitude Sul e 56 graus 04 minutos 41,76 segundos longitude Oeste. 


O nome do município indicado no requerimento é escrito errado e omite a honra eclesiástica: “Antonio ‘do’ Leverger/MT”. 


Abra-se um parêntesis para registrar que até o ‘santo casamenteiro’ foi vítima de fraude, tal a história de Mato Grosso – o correto é Santo Antônio ‘de’ Leverger, referência ao mercenário Almirante Augusto João Manuel Leverger (Saint-Malo, França 30/01/1802 – Cuiabá 14/01/1880), herói da Guerra do Paraguai honrado com o título ‘Barão de Melgaço’ e por várias ocasiões presidente da Província de Mato Grosso, sob o imperador Dom Pedro II.


Fechado o parêntesis, voltemos ao fio da merda, digo, da meada.A licença ambiental para perfuração de poço artesiano tubular foi concedida a toque de caixa em menos de trinta dias após os requerimentos e publicada aos 13 de junho de 2019 na edição nº 27.524 do Diário Oficial, à página 10 - Autorização nº 059/2019 (Processo nº 241098/2019), na qual está prevista perfuração em profundidade de 100 metros e diâmetro de seis metros e registrado que  “a empresa perfuradora será a MT Poços Artesianos Ltda - ME e o geólogo responsável pela elaboração do projeto, perfuração do poço e acompanhamento da construção será o Sr. Caio Fernando Bellão de Souza (CREA MT nº 029752)”.


Depois disso, a licença para captação de água do lençol subterrâneo – vazão máxima de 1,25 metro cúbico por hora, por aproximadamente três horas ao dia, sete dias por semana – foi publicada aos 25 de maio de 2020 pelo DOE/MT, edição nº 27.757, página 09. 


A licença - chancelada pela Secretária-Adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos - é quase uma concessão: vale até junho de 2030.Por último e menos de dois meses depois a Superintendência de Infraestrutura Mineração Indústria e Serviços da Sema outorgou à Cervejaria Preis Bier Ltda a Licença de Instalação - chancelada sob o nº L.I. 71.811/2020 e publicada à página 07 na edição nº 27.798 do Diário Oficial.

DOC RESOLUÇÃO CODEM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ASSINATURA FALSA PERICIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


AVAL DE FCO NO CODEM E FALSA PERÍCIA: TOMA LÁ, DÁ CÁ
O licenciamento ambiental urgente era preciso para o próximo passo da trama, a elaboração de projeto e carta-consulta para a proposta de milionário financiamento com juros ‘de pai pra filho’ cinco anos de carência e pagamento a perder de vista por meio do FCO Empresarial – linha de crédito via Ministério da Integração Regional e Banco do Brasil, bancada com recursos federais vinculados ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO).


Além do atendimento às exigências ambientais a legislação normativa do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste condiciona a concessão de empréstimos com valor superior a R$ 1 milhão à aprovação pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado de Mato Grosso (Codem/MT).


 O governador Mauro Mendes manda no Codem, vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec) cujo titular César Miranda é o presidente do Conselho ´- do qual também são membros os secretários das pastas de Agricultura Familiar (Seaf), Fazenda (Sefaz), Meio Ambiente (Sema), além da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).


A sociedade civil conta com apenas três representantes, que são os presidentes das Federações da Agricultura e Pecuária (Famato), das Indústrias (Fiemt) e do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio). 


Assim de maneira bem conveniente aos interesses ‘empresariais’ do perito responsável pelo exame grafotécnico que teria o condão de salvar a pele do governador Mauro Mendes, os conselheiros chancelaram o enquadramento na condição de “prioridade do Estado” o aval para a carta-consulta do FCO Empresarial proposta pela Cervejaria Preiss Bier Ltda, cujo valor de crédito pretendido é superior a R$ 2,3 milhões.


A aprovação da carta-consulta no Codem/MT aconteceu em reunião extraordinária realizada no dia 17 de novembro de 2020 e publicada pelo Diário Oficial à página 37 da edição nº 27.880, que circulou no dia seguinte, aos 18 de novembro de 2020 – Resolução nº 007/2020/CODEM assinada pelo presidente do colegiado, secretário César Miranda.


Dois dias após a publicação do aval palaciano ao milionário e privilegiado financiamento com recursos federais para a Cervejaria Preis Bier Ltda, o dono da empresa e perito forense Thyago Jorge Machado assinou a falsa perícia grafotécnica claramente forjada a fim de inocentar o governador Mauro Mendes e os demais réus na ação de improbidade administrativa.


Estão ligados os dedos ao piano. 

>>>>>>>>>BAIXE AQUI O DIÁRIO OFICIAL DO DIA 18/11/2020 (RESOLUÇÃO  CODEM  NA PÁG. 37)<<<<<<<<<<<<

 

>>>>>>>>>>BAIXE AQUI A FALSA PERÍCIA DATADA EM 20/11/2020 <<<<<<<<<<<<<<<<<<

 

 

 

 

 

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.