Moradores de mais três estados começam a receber alertas de desastres

Foto: Divulgação/Defesa Civil

A Defesa Civil começa a enviar, a partir desta segunda-feira (18), alertas de desastres naturais para cidadãos dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. As mensagens são gratuitas e orientam a população sobre os procedimentos que devem ser adotados diante do risco de inundações, alagamentos e deslizamento de terra.

As notificações serão enviadas aos celulares sempre que forem identificadas situações de riscos que possam acarretar desastres naturais e danos aos moradores.

Para acessar o serviço, é preciso cadastrar o CEP do local e responder à mensagem SMS encaminhada pelas operadoras de telefonia móvel. As mensagens são produzidas e enviadas pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), em parceria com os órgãos de Defesa Civil dos estados e municípios.

Segundo o diretor do Cenad, o serviço permite que o cidadão tome rápidas providências e saia com segurança do local. “Temos plena segurança de que será melhor para todos ao oferecer às pessoas a chance de ter, diretamente em seus telefones, as condições e alertas para tomar providências rápidas e evitar que sejam atingidas por desastres.”

No Brasil

O primeiro alerta SMS do sistema foi enviado em Santa Catarina, para cerca de 400 moradores do município de Ponte Serrada, ainda na fase piloto.

Em janeiro, os estados de Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais também passam a receber os avisos. A expectativa é que até março de 2018 todos os estados brasileiros sejam contemplados.

Os alertas foram testados durante seis meses em 25 cidades de Santa Catarina e Paraná, atendendo mais de meio milhão de usuários da telefonia móvel.

Com a ampliação em novembro para o estado de São Paulo, o serviço de Alertas via SMS já atingiu 1,08 milhão de usuários cadastrados. Até o momento já foram enviados 697 alertas para os três estados, somando 5.361.234 SMS encaminhados. As informações são do Ministério da Integração Nacional

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*