Ministério do Trabalho detecta fraudes no pagamento do seguro-desemprego

Imagem ilustrativa da Agência Brasil

O Ministério do Trabalho identificou uma série de irregularidades no pagamento do seguro-desemprego no setor de transporte de cargas. Entre abril e maio, auditores da pasta identificaram 2.180 motoristas trabalhando na informalidade, sem carteira de trabalho, sendo que 31% deles recebiam o benefício social mesmo trabalhando.

Entre os locais com maior número de irregularidades estão os estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Rondônia, Goiás e Mato Grosso. A operação, que contou com mais de 330 ações fiscais, registrou 600 autos de infração em todo o País e as multas podem chegar a R$ 6 milhões.

Diante da operação, foram bloqueados um total de R$ 2,6 milhões de recursos do seguro-desemprego. Segundo a pasta, os trabalhadores flagrados terão de devolver as parcelas recebidas indevidamente e não poderão receber novo benefício por ao menos dois anos. Eles também podem responder pelo crime de estelionato qualificado.

Além do recebimento indevido do seguro-desemprego, os auditores do Ministério do Trabalho identificaram diversos empregados sem registro que estavam recebendo benefício de aposentadoria por invalidez. A estimativa é que essas fraudes tenham retirado mais de R$ 3 milhões dos cofres da Previdência Social, segundo o Ministério do Trabalho. As informações são da ASCOM- Ministério do Trabalho e portal Brasil.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*