22 de Maio de 2017

Facebook Twitter Google Plus rss
Mapa do Brasil
Terça, 21 de fevereiro de 2017, 10h18 Tamanho do texto A- | A+


MEIO AMBIENTE / MEIO AMBIENTE

Ministério do Meio Ambiente analisa novas áreas protegidas

Imagem do Ministério do Meio Ambiente

Clique para ampliar


Ministério do Meio Ambiente

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) estuda a criação de novas áreas protegidas em território brasileiro. Em reunião na última sexta-feira (17), secretários do MMA e representantes dos órgãos vinculados definiram prioridades para o processo de criação de unidades de conservação ao longo deste ano. O objetivo é aliar proteção da biodiversidade a agendas como mudança do clima, desenvolvimento sustentável e inclusão social. 

 

Uma das prioridades do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, o incremento das unidades de conservação contribui para o combate ao desmatamento e para o corte de emissões de carbono. O secretário de Mudança do Clima e Florestas do MMA, Everton Lucero, destacou a importância da medida para o alcance das metas que o país assumiu no contexto internacional. “A ampliação das áreas protegidas é fundamental dentro do setor de mudança do uso da terra e florestas”, explicou.

 

O aumento das áreas protegidas em território nacional reforçará a liderança brasileira na agenda ambiental. Bráulio Dias, que atuou nos últimos cinco anos como secretário executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica das Nações Unidas, ressaltou o papel de destaque do país. “O Brasil tem muita visibilidade e receptividade internacional”, declarou. Segundo ele, a conjuntura atual é a mais favorável. “É preciso estreitar a cooperação das agendas de clima e biodiversidade”, acrescentou.

 

PARTICIPAÇÃO

 

O presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ricardo Soavinski (foto), afirmou que o objetivo é envolver todos os setores para o estabelecimento de novas áreas de proteção e para o funcionamento das que já existem. “Vamos buscar a participação de vários segmentos na criação e na gestão das unidades de conservação”, explicou. Soavinski enfatizou que o diálogo entre os diversos setores será a base do processo. 

 

A inclusão social também está entre os focos de atuação. Base das populações tradicionais, a reserva extrativista foi apontada como uma categoria com esse potencial. “Esse é o modelo para o futuro e, quando bem trabalhado, traz muitos resultados positivos”, explicou a secretária de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável, Juliana Simões. “A área protegida não é um bem apenas para a biodiversidade, é também para água, clima e questões sociais”, listou o secretário de Biodiversidade, José Pedro de Oliveira Costa. 

 

O encontro é promovido pela Secretaria de Biodiversidade do MMA em parceria com o ICMBio. Ocorre durante todo o dia no Centro de Apoio ao Manejo Florestal (Cenaflor), em Brasília.  



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Enquete

Quantas vezes você já doou sangue?

Uma vez

Duas vezes

Três ou mais

Nunca

  • Parcial Votar

PREVISÃO DO TEMPO

NEWSLETTER

Preencha o formulário abaixo para
receber nossa newsletter:




Copyright © 2014 Brasil Notícia - Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.