Manifestantes fazem ato pelo país no dia em que recurso de Lula é julgado

Foto: Ricardo Stuckert / Fotos Públicas

No dia em que o recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está sendo julgado pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em Porto Alegre, manifestantes contrários e favoráveis ao ex-presidente promovem atos em várias cidades do país.

Os desembargadores em Porto Alegre julgam recurso de Lula contra a condenação de 9 anos e 6 meses de prisão, no caso do triplex do Guarujá. A pena foi aplicada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal, em Curitiba.

Salvador

Integrantes de movimentos sociais, sindicalistas e simpatizantes do ex-presidente bloquearam na manhã de hoje (24) a avenida que dá acesso ao Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães, em Salvador. A Polícia Militar intensificou o policiamento ostensivo a fim de evitar conflitos.

Os manifestantes começaram a se concentrar próximo ao local do bloqueio por volta das 4h30 de hoje. Segundo a Superintendência de Trânsito (TranSalvador), a Avenida Tenente Frederico Gustavo dos Santos, que dá acesso ao aeroporto, estava totalmente bloqueada por volta das 6h20 e foi liberada pouco após as 7h10.

Muitos passageiros tiveram que seguir a pé até o aeroporto para não perder seus voos. Após liberarem o acesso ao aeroporto, os manifestantes seguiram em caminhada até a Câmara Municipal de Lauro de Freitas, onde de acordo com a PM, o ato foi encerrado.

Pouco após as 10h30, a TranSalvador registrava o início de um segundo bloqueio, desta vez na Avenida Sete de Setembro, próximo à Praça da Piedade, na região central.

Em Porto Alegre, onde ocorre o julgamento, a Brigada Militar abordou uma embarcação nas águas do Rio Guaíba. O barco estava no perímetro delimitado pelas autoridades para o acompanhamento de movimentos sociais que defendem o ex-presidente. Dentro barco, foi inflado um boneco anti-Lula por manifestantes que pedem a prisão do ex-presidente.

Segundo a Brigada Militar, o barco estava com a documentação em dia. Mesmo assim, foi retirado do local e o boneco inflável removido. A área foi isolada pelo governo do estado.

Manifestantes a favor de Lula acompanham o julgamento em acampamento montado a cerca de um quilômetro do TRF4. Uma parte do grupo está perto do cordão de isolamento montado pela polícia nas proximidades do tribunal. De acordo com as autoridades, 2,2 mil policiais fazem a segurança no local. Não foi registrado nenhum incidente pela Polícia Militar. No período da tarde, está previsto ato contra o ex-presidente, convocado pelo Movimento Brasil Livre (MBL).

Recife

Desde ontem (23), atos de apoio ao ex-presidente foram registrados em várias cidades pernambucanas, como Petrolina, Garanhuns e Caruaru. Segundo a Polícia Militar, não houve registros de confusões.  No Recife, integrantes da Frente Brasil Popular, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e de outros movimentos sociais estão reunidos na Praça Tiradentes, onde acompanham a transmissão do julgamento do recurso por meio de um telão instalado no local.

São Paulo

Desde o meio-dia, grupo contrário a Lula se concentra no vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp). Dois carros de som ocupam duas faixas da avenida, no sentido Consolação. Os manifestantes portam faixas contra o ex-presidente e de apoio ao juiz Sérgio Moro. A manifestação provoca lentidão no trânsito, mas sem incidentes.

O ex-presidente acompanha no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP), o julgamento do recurso. Em discurso para apoiadores, Lula disse que está tranquilo e reafirmou que não cometeu crime. Militantes acompanham o julgamento por um telão instalado no local.  As informações são da Agência Brasil.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*