Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019

Justiça
Quarta-feira, 06 de Novembro de 2019, 11h:10

jornalista Marcelo Ferraz

Polícia conclui inquérito e diz que crime foi motivado por drogas

A Justiça também decretou a prisão preventiva do acusado Jhon Lennon da Silva

Mídia News

A Polícia Civil concluiu, nesta terça-feira (5), que o assassinato do jornalista Marcelo Ferraz, ocorrido no dia 30 de setembro, foi motivado por um desentendimento por conta de drogas.

A Justiça também decretou a prisão preventiva do acusado Jhon Lennon da Silva, de 21 anos, acusado de ser o autor do crime. Segundo a polícia, ele matou o jornalista com pedradas na cabeça.

 

O criminoso já havia confessado a autoria do crime à Polícia. Na ocasião, ele afirmou que cometeu o assassinato motivado pelo ciúme já que, de acordo com seu depoimento, teria flagrado a vítima com sua namorada em um terreno baldio no Bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá. 

Durante as investigações, o delegado Fausto Freitas, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), ouviu também a namorada de John Lennon, que negou qualquer envolvimento íntimo com Marcelo.

Ela confirmou que o acusado é o autor do crime e, em seu depoimento, afirmou que o suspeito apareceu com a vítima e chamou-a para usar drogas.

 A menina diz que deixou o local após uma desavença e, logo depois, o crime teria acontecido. “Nós localizamos essa menina e ela veio a confirmar que ele era o autor do crime, porém desmentiu a versão apresentada por ele quanto à motivação. Segundo ela, nesse dia, estava com o autor, outro usuário de drogas chamado de 'velhinho' e, em determinado momento, ela ficou com o 'velhinho' e o suspeito saiu e voltou com a vítima depois de alguns minutos”, disse Fausto. 

"Cheque ouro" 

A Polícia afirma que a hipótese é que John Lennon assassinou Marcelo durante uma briga por causa de drogas e tentou roubá-lo. Eles chamavam Marcelo de “cheque ouro”, referindo-se a uma pessoa que tem grande poder aquisitivo, mas vive em companhia deles.  "A hipótese mais provável é que o suspeito, após cometer o crime, tentou roubar a vítima, mas não encontrou nada", explicou o delegado. Com as investigações, a Polícia Civil descobriu que, na noite do crime, a vítima estava desprovida de qualquer recurso e mesmo levava o celular consigo, portando apenas um documento de estágio da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT). 

Denúncia à Justiça 

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) é quem vai decidir se a ex-namorada do acusado vai responder por algum crime. Por enquanto, ela é tratada apenas como testemunha do crime. Já Jhon Lennon da Silva permanece preso por homicídio. 

Relembre o caso 

Marcelo Ferraz Leite, que também era escritor e advogado, foi encontrado morto no dia 30 de setembro, em um terreno baldio próximo ao viaduto da Avenida Rubens de Mendonça, no Bairro Bosque da Saúde. O corpo tinha sinais de violência física e foi reconhecido pelo pai da vítima, que havia registrado o desaparecimento do filho dois dias antes, depois que ele saiu de casa e não mais retornou.   

Na terça-feira (2), a Polícia Militar localizou John Lennon da Silva no Bairro Baú, depois de receber informações de testemunhas onde ele estaria.  Marcelo Ferraz morreu em decorrência de traumatismo craniano causado por objeto contundente.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.