Terça-feira, 24 de Novembro de 2020

Justiça
Terça-feira, 20 de Outubro de 2020, 14h:17

JUSTIÇA

Juíza retoma audiências e ouve pais da garota que fez disparo

Depoimentos serão realizados na tarde desta terça-feira por videoconferência

MidiaNews

MidiaNews

A juíza Cristiane Padim da Silva, da 2ª Vara da Infância e da Juventude de Cuiabá, retoma na tarde desta terça-feira (20), as audiências do processo que investiga o homicídio da adolescente Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos.

 

A reportagem apurou que hoje serão ouvidas as testemunhas de defesa da acusada de matar Isabele, de 15 anos.

 

Entre as testemunhas, estão os pais dela, Marcelo Cestari e Gaby Cestari.

 

Os depoimentos serão realizados por meio de videoconferência devido à pandemia da Covid-19.

 

Essa é a segunda audiência relativa ao caso. A magistrada já ouviu a acusada e o namorado dela no dia 23 de setembro.

 

Conforme apurou a reportagem, após essa audiência, a juíza deverá marcar uma outra data para ouvir as testemunhas de acusação. Entre elas, a mãe de Isabele, Patrícia Guimarães Ramos.

 

Depois dessa última audiência, o caso é encaminhado para considerações finais e segue para sentença.

 

Isabele foi morta com um tiro no rosto por uma arma de fogo segurada pela sua melhor amiga. A tragédia ocorreu no Condomínio Alphaville, em Cuiabá, em um domingo, dia 12 de julho.

 

A juíza aceitou a representação criminal do Ministério Público Estadual contra a adolescente por ato infracional análogo a homicídio doloso no dia 15 de setembro.

 

Este tipo de homicídio acontece quando há a intenção de matar ou quando a pessoa assume o risco de produzir morte.

 

Segundo o laudo da Politec e a conclusão do inquérito do MPE, o tiro foi dado de dentro do banheiro, de maneira frontal, contrariando o depoimento da garota à Polícia Civil.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.