Sábado, 11 de Julho de 2020

Justiça
Quarta-feira, 24 de Junho de 2020, 10h:17

QUARENTENA OBRIGATÓRIA

Emanuel avisa que vai recorrer decisão do TJ

Mais uma vez Emanuel disse que não adianta fechar a capital se as cidades do interior permanecem funcionando

Redação

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) declarou que vai recorrer da decisão do juiz José Leite Lindote, que determinou a quarentena coletiva em Cuiabá e Várzea Grande. Em entrevista à Rádio Mega FM, na manhã desta quarta-feira (24), o gestor frisou que entrará com uma medida prioritária, que deve ser julgada com rapidez pelos desembargadores.

 Mais uma vez Emanuel disse que não adianta fechar a capital se as cidades do interior permanecem funcionando.

"Cuiabá fez o dever de casa para poder enfrentar o momento mais grave, que vive nesse momento de alta do novo coronavírus. Então não posso aceitar que Cuiabá pague o pato em relação as cidades do interior, que não se preparou para essa alta da doença", destacou o prefeito.

Isso é uma violência contra a população cuiabana

Emanuel disse estar preocupado com o reflexo que a medida do TJ terá na economia da Capital, ressaltando que o resultado desta imposição vai ser a quebradeira geral das empresas, o desemprego batendo recordes e a população sem renda.

“Isso é uma violência contra a população cuiabana. O resultado disso vai ser o fechamento generalizado de empresas, o desemprego e a população não vão ter renda. Como não houve nenhuma sinalização das autoridades para estender a medida para o Estado inteiro, é claro que vou recorrer”, adiantou.

O prefeito afirmou ainda que não tem nada decidido, o Comitê de Enfrentamento está em reunião para recorrer da decisão e as últimas medidas ainda estão valendo na capital.
"Ainda estou em reunião com todos os envolvidos e assim que tomarmos uma decisão a população vai ser comunicada. Enquanto eu puder fazer tudo que não prejudique o povo cuiabano, eu vou fazer, claro tudo dentro da lei", afirmou o prefeito.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.