Sábado, 17 de Novembro de 2018

Justiça
Quarta-feira, 24 de Outubro de 2018, 12h:26

Mato Grosso

Alan apresenta fotos, vídeo e prints de conversas para provar amizade com Taques

Da Redação

Divulgação

Indignado com o fato do governador Pedro Taques (PSDB) sempre ter negado amizade e, portanto, negociatas espúrias envolvendo caixa 2 de campanha eleitoral com o empresário Alan Malouf, delator da operação Rêmora, este apresentou ao Ministério Público Federal (MPF) uma série de fotografias e vídeos que mostram o tucano em sua casa, no condomínio Japuíra, em Cuiabá, além de prints de conversas de WhatsApp para provar que ambos mantinham uma relação antiga. 

Durante depoimento prestado no dia 1º de dezembro de 2017, quando ainda tentava firmar o acordo de delação premiada com o MPF, Alan Malouf mostrou algumas fotos em que Pedro Taques e sua ex-esposa Samira Martins aparecem em eventos sociais, almoços em sua casa e de sua família. 

 

                                     

“Isso mostra com clareza o quão íntimo ele era da minha casa. Não só da minha casa, como da casa dos meus pais, almoçava aos domingos, etc, frequentava eventos sociais também. Aqui está claro, eventos sociais na minha casa, na residência da minha família, então, eu acredito que o governador não frequentaria uma casa com tanta frequência, com tanta assiduidade se não tivesse um grau de amizade tão elevado”, disse enquanto mostrava as fotos.

Além de se mostrar interessado em desvendar os crimes que teriam ocorrido não só durante a campanha eleitoral de 2014, com o suposto esquema de caixa 2, e após a posse de Pedro Taques no governo do Estado, com tentativas de negociação para recuperação do dinheiro que “investiu”, juntamente com colegas empresários, Alan Malouf também demonstrou-se chateado com a forma com que fora tratado pelo ex-amigo. 

“O que eu fico indignado é essa distinção na amizade. Quer dizer, minha amizade só serviu quando eu pude servir a ele, né?! A partir de um certo momento minha amizade não foi bem quista. É isso”, afirmou.

Conforma ponta em sua delação, Alan Malouf figurou como doador e captador de recursos de caixa 2 para a campanha eleitoral de Taques, em 2014. Ele afirma que ao todo, deve ter contribuído com cerca de R$ milhões, mas que não conseguiu reaver todo o “investimento”, nem por meio de esquema de fraude em licitação na Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) e até mesmo sendo retaliado em licitação para fornecimento de alimentação para presídios. 

 

Outro lado 

Principal alvo da delação premiada de Alan Malouf, o governador Pedro Taques segue negando ilícitos durante a campanha de 2014. Confira nota:

Conforme já declarado desde 2016, o governador Pedro Taques nega a prática do chamado “Caixa 2” em sua campanha eleitoral ao Governo de Mato Grosso em 2014 e tampouco autorizou vantagens indevidas a qualquer empresa durante o exercício do mandato.

Apesar de citado por delator em acordo de delação premiada, Taques não é réu no processo da chamada “operação Rêmora” e terá direito a ampla defesa nos autos. O governador já constituiu advogados para atuar no processo e garantir que a verdade prevaleça.

 

Com informações e texto do Gazeta Digital

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.