Caldeirão Político

Terça-feira, 15 de Setembro de 2020, 15h:23

Lúdio Cabral cobra atuação do governo federal

Exército tem brigadistas que podem reforçar atuação na linha de frente feita pelo Corpo de Bombeiros

Redação

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) cobrou que o governo federal tome providências concretas e imediatas para combater as queimadas no Pantanal, autorizando o Exército a fazer o combate ao fogo na região, para reforçar o efetivo do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso que já atua na área. As causas sistêmicas e as medidas para combater as queimadas no Pantanal serão debatidas em audiência pública remota na quinta-feira (17), a partir das 14 horas.

“Tivemos a informação de que o Exército Brasileiro possui mil brigadistas capacitados para combater o fogo, que poderiam se somar aos 900 bombeiros e brigadistas que já estão no Pantanal. Os trabalhadores do Corpo de Bombeiros são heróis que estão na linha de frente e merecem todo o nosso reconhecimento. Mas com 300 bombeiros por turno e 1 milhão de hectares queimados, são 3.333 hectares de incêndio para cada homem ou mulher na linha de frente. É impossível combater o fogo no Pantanal sem aumentar o número de pessoas atuando no local. Estamos sacrificando esse efetivo de trabalhadores da linha de frente, que vão adoecer e ter problemas respiratórios graves. Precisamos de mais gente. As Forças Armadas precisam entrar nesse enfrentamento”, disse Lúdio.

A convite da deputada federal Rosa Neide (PT), Lúdio participou da reunião da Frente Parlamentar Ambientalista do Congresso Nacional nessa segunda-feira (14) e propôs como encaminhamento o pedido para que o Exército atue no Pantanal. Na reunião da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, Lúdio sugeriu que o governador de Mato Grosso faça a mesma cobrança ao presidente da República.

“O Exército não está combatendo as queimadas no Pantanal por decisão do Ministério da Defesa, que diz que o problema no Pantanal é responsabilidade da Marinha. Tivemos informações de que o governador já entrou em contato com o general que comanda o Exército aqui e o general respondeu que recebe ordens. Então o governador precisa ligar para o presidente da República, que é o comandante em chefe do Exército brasileiro, para que ele determine a atuação do Exército nas queimadas”, disse Lúdio.

Audiência pública - O tema será debatido com profundidade na audiência pública da próxima quinta-feira, que será realizada pelo aplicativo Zoom e transmitida pela TV Assembleia e na página www.facebook.com/LudioMT, a partir das 14 horas. A audiência vai reunir universidades, entidades civis, órgãos públicos e moradores da região. Lúdio observou que, além do Pantanal, grandes porções do Cerrado e da Amazônia também estão sendo devastados pelo fogo.

“Na audiência, vamos procurar respostas para três grandes questões. A primeira é o diagnóstico das queimadas atuais: quando começou, qual o caminho percorrido, qual a situação atual e qual o prognóstico. A segunda questão é sobre as medidas estão sendo implementadas pelas instituições responsáveis para enfrentar as queimadas e o que ainda pode ser feito. Precisamos mobilizar todas as forças necessárias para esse trabalho. A terceira é analisar as raízes profundas dessa situação, que estão na nossa relação com o planeta. Precisamos pensar em políticas públicas e modelos de desenvolvimento que enfrentem com profundidade as origens desse problema, que está na falta de água no Pantanal. A floresta e cerrado estão sendo devastados e afetam o regime das águas”, disse Lúdio.


Fonte: Brasil Notícia

Visite o website: brasilnoticia.com.br