Quarta-feira, 21 de Outubro de 2020

Geral
Sábado, 17 de Outubro de 2020, 10h:19

Ministério Público do Amazonas MP-AM

Novo PGJ vai priorizar combate à corrupção

Fonte: D24 Am

MPAM

Manaus – O novo Procurador-Geral do Estado do Amazonas Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, falou sobre as expectativas e desafios do novo cargo em coletiva de imprensa on-line realizada na tarde desta sexta-feira (16). O Procurador-Geral foi empossado pelo Colégio de Procuradores de Justiça do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), na tarde desta quinta-feira (15) em Sessão Solene Virtual transmitida pelo canal do MPAM.

Questionado sobre quais seriam os maiores desafios na nova função, Alberto Nascimento falou sobre a reestruturação de dois setores específicos. “No início da nossa apresentação, foi colocado que o maior desafio é reestruturar a atuação do nosso grupo de combate ao crime organizado. O principal desafio é, com o grupo de atuação, exercer na área do patrimônio o público e juntar com as promotorias o núcleo de combate à corrupção que vai ser ampliado”, afirmou.

Com a principal missão de representar juridicamente e fomentar as principais necessidades da população amazonense, o Procurador-Geral destacou a responsabilidade da função em fomentar estratégias e ações para incrementar o índice de desenvolvimento humano, unindo cada vez mais interior e capital.

A problemática de crianças trabalhando no semáforo também foi levada à atenção do novo Procurador-Geral que frisou o fomento e reorganização das coordenações específicas da infância e da juventude, destacando que atualmente há 7 coordenações com previsão de ser instalada mais uma.

A preocupação sobre as fiscalizações acerca das Eleições 2020, também foram abordadas durante a coletiva. O Procurador-Geral afirmou que as equipes do MPAM vão atuar na fiscalização de todas as normas que abrangem o pleito eleitoral e verificar se há irregularidades ou normas que não estejam sendo cumpridas.

Questionado sobre ações para melhorias no sistema prisional do Amazonas, com relação às rebeliões, massacres e superlotação, o Procurador passou a palavra para Alessandro Martins do MPAM que realizou um estudo de caso na área. “Desde o tempo do massacre de 2017, há uma ação penal. Passamos a adotar uma mudança. A vara de execução penal também passou por uma grande reformulação, passando a contar com 4 juízes, subdividindo-se os regimes. O problema dos massacres é multidisciplinar que deve ser enfrentado por toda a sociedade”, afirmou Martins.

Durante a coletiva de imprensa on-line com o Procurador-Geral também foram abordados os problemas na qualidade da água em Parintins e exercício do ano fiscal. Alberto Nascimento finalizou a coletiva reafirmando seu compromisso com a sociedade amazonense. “Para que o cidadão saiba como buscar um direito que por ventura tenha sido violado. O Ministério Público está de portas abertas”, finalizou o Procurador-Geral.

 

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.