Domingo, 08 de Dezembro de 2019

Geral
Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019, 12h:57

GRAMPOLÂNDIA

Ex-secretário ameaçou 6 delegados

Fonte: Folha Max

Divulgação

No inquérito que pede a prisão do delegado e ex-secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas, a Polícia Civil afirma que ele ameaçou ou tentou coagir 6 delegados ligados ao caso, além do promotor Mauro Zaque, 4 policiais militares e a assessoria de imprensa da instituição.

Apesar do pedido das delegadas Ana Cristina Feldner e Jannira Laranjeira Siqueira Campos Moura de prisão preventiva não ter sido acatado pelo Judiciário, Jarbas será monitorado por tornozeleira eletrônica, justamente por causa das ameaças e tentativas de dificultar as investigações da grampolândia pantaneira.

Consta no inquérito que o ex-secretário perseguiu a delegada Alessandra Saturnino, para que ela participasse do esquema de grampos ilegais e como ela não aceitou, passou a persegui-la.

"Ao retornar para os quadros da Polícia Civil, foi lotada na Delegacia Especializada Contra Crimes Fazendários - Defaz. Porém, cerca de 3 meses, foi determinada a sua saída da referida unidade policial (...) sem qualquer justificativa o motivação no interesse público", diz trecho do documento.

Jarbas também "coagiu a delegada Alana Darlene [Souza Cardoso] a prestar declarações infringindo suas atribuições legais", perseguição essa que a fez chegar a “um colapso nervoso”.

Em outro trecho do inquérito, a Polícia Civil afirma que Rogers Jarbas "persegue Rafael Meneguini, Alessandra Saturnino, Alana Darlene e Flávio Stringueta para tentar desqualificar as investigações, bem como exerce represálias".

Uma dessas tentativas de ameaças contra o delegado Stringueta ocorreram em março de 2018 e foram registradas pelas câmeras do circuito de segurança de um supermercado.

Também foi alvo de Rogers, a delegada Ana Cristina Feldner, em uma tentativa de intimidação em março de 2018, "ficando à frente de sua casa, em condomínio" em "horário suspeito".

Ele também é acusado de tentar cooptar o delegado Rafael Mendes Scatalon que atuava nas investigações e foi afastado após manter contato com Jarbas, o que representaria um suposto conflito de interesses.

Consta no inquérito que como forma de ameaçar as pessoas que investigavam a grampolândia, ele exonerou 4 policiais militares em julho de 2017, pois eles estavam ligados ao início das investigações.

Uma assessora de imprensa da Polícia Civil foi intimidada, por causa da divulgação de convites de delegados para integrarem a força-tarefa da grampolândia.

Em outubro o ex-secretário foi aposentado como delegado aos 45 anos. Por determinação da 7ª vara Criminal ele irá usar tornozeleira, além de ter que dormir em casa todas as noites e não poder se aproximar dos outros investigados pelos grampos ilegais.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.