Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019

Geral
Quarta-feira, 14 de Agosto de 2019, 10h:05

Venda para mercado privado é proibida

Empresa brasileira fez proposta para comprar energia de Itaipu do Paraguai

Fonte: Poder 360

Osvaldo de Lima/Norte Energia

A empresa brasileira Léros Comercializadora fez uma proposta formal em 27 de julho deste ano para comprar por US$ 31,50 / MWh a energia de Itaipu do governo do Paraguai. Esta comercialização é proibida atualmente. O documento foi publicado nessa 3ª feira (13.ago.2019) pelo jornal paraguaio ABC Color.

Quem assina a proposta é Kleber Ferreira da Silva, 1 dos donos da empresa, de acordo com informações obtidas em consulta à Receita Federal. O texto foi assinado em São Paulo.

Representantes da Léros viajam ao Paraguai desde abril com o empresário Alexandre Luiz Giordano, filiado ao PSL e suplente do senador Major Olimpio (PSL-SP). O ABC Color afirma que esses representantes diziam ter proximidade com a família do presidente Jair Bolsonaro.

Outros passageiros dos voos ao país vizinho seriam Joselo Rodríguez, de 27 anos, que se apresentava como assessor jurídico ligado ao vice-presidente do Paraguai, Hugo Velázquez; Adriano Tadeu Deguirmendjian Rosa, sócio da Léros Energia e Participações; Cyro Dias Lage Neto, advogado; e Bruno Emannuel Silva Nascimento, ainda não identificado.

Em entrevista à revista Piauí publicada em 1º de agosto, Giordano confirmou que participou de reunião no país vizinho, mas disse que não citou o presidente Jair Bolsonaro nem falou em nome do senador Major Olimpio.

Giordano ainda afirmou não ter amizade ou vínculos com ninguém da família presidencial. No entanto, o diretório do PSL de São Paulo ocupa uma sala cedida por ele, que tem empresa no mesmo endereço, conforme também consta em registro da Receita Federal.

O PSL de São Paulo é atualmente presidido pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro. O senador Major Olimpio também já comandou a sigla em SP.

Outro lado

Procurado pelo Poder360, o Palácio do Planalto disse que não está tratando do caso, mas mencionou nota divulgada na 6ª feira (9.ago) em que o MME (Ministério de Minas e Energia), o MRE (Ministério das Relações Exteriores) e a Eletrobras afirmam não ter “qualquer fundamento a especulação sobre a possibilidade de comercialização da energia da usina binacional por parte de alguma empresa que não seja a Eletrobras e a Ande”.

O senador Major Olímpio foi procurado e não quis se manifestar. A reportagem também tentou contato com a Lerós, mas ainda não teve retorno.

Informações deste post foram publicadas antes pelo Drive, com exclusividade. A newsletter é produzida para assinantes pela equipe de jornalistas do Poder360. Conheça mais o Drive aqui e saiba como receber com antecedência todas as principais informações do poder e da política.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.