Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021

Geral
Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2021, 10h:53

PREFEITOS

Emanuel pode compor frente nacional

Fonte: Folha Max

Divulgação

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, foi convidado para integrar a vice-presidência de Energias Renováveis, na chapa do candidato à presidência  da Frente  Nacional dos Prefeitos (FNP), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB).

O convite da reunião foi feito pelo ex-prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB) e o atual presidente da FNP. Também participou do debate virtual, o prefeito de Boa Vista, Roraima, Arthur Henrique.  

 

A eleição virtual e posse da nova diretoria da FNP será no dia 15 de abril, para comandar o biênio 2021/2023. Historicamente, a seleção é realizada por aclamação dos membros da entidade que é  dirigida exclusivamente por prefeitos em exercício dos seus mandatos. 

"Fiquei honrado e orgulhoso em ser convidado para compor a chapa liderada pelo prefeito de SP, Bruno Covas. O  atual presidente, o  Jonas,  fez um grande trabalho e promoveu  uma união de forças entre prefeitos de capitais e municípios com mais de 80 habitantes que compõem a FNP. E ao convidar Cuiabá, para um  cargo  tão importante como este, eu divido com a população essa conquista. Isso mostra a importância de Cuiabá no contexto nacional e quero dizer que vamos nos dedicar ao lado de Bruno Covas. Vamos  buscar ainda mais o fortalecimento e união dos prefeitos do Brasil, fortalecimento do estado democrático de direito e a melhoria da política municipalista. Dessa forma, buscar mecanismos de modernidade e sustentabilidade para diversas ações. Iremos colocar Cuiabá em uma condição de debate nacional", agradeceu o prefeito. 

 

A  FNP representa municípios com mais de 80 mil habitantes e capitais e é organizada em diretoria executiva, vice-presidências temáticas.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.