Terça-feira, 13 de Novembro de 2018

Gastronomia
Segunda-feira, 13 de Agosto de 2018, 20h:46

Fotos: Assessoria

Festival de carnes reforça a valorização de um dos maiores produtos da balança comercial de MT

Fotos: Assessoria

Mato Grosso é responsável pela maior produção de bovinos do país com mais de 30 milhões de cabeças, que são comercializadas no mercado interno e em mais de 80 países do mundo, segundo dados da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat).

Esses números fazem com que a carne bovina seja um forte item na balança comercial do Estado – figurando entre os principais geradores de divisas ao lado da soja, do algodão e do milho.

Mas, alcançar patamar de reconhecimento dessas commodities agrícolas é o grande desafio da carne mato-grossense. E esse é um dos objetivos do Festival Braseiro, que chega em Rondonópolis [a 240 km de Cuiabá], no próximo dia 8 de setembro, para sua 5ª edição.

Entre os produtos pecuários – que também incluem suínos, frango, leite e ovos –, os bovinos são os de maior rendimento no campo mato-grossense, sendo responsáveis por 76,52% de todo o valor que é gerado pela produção de proteína animal [R$ 11,803 bilhões dos R$ 15,423 bilhões que deverão ser gerados este ano], conforme projeção do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Conforme explica o presidente da Acrimat, Marco Túlio Duarte Soares, nem sempre a população tem a dimensão de todos esses números e do que eles representam para o estado de Mato Grosso. De acordo com ele, eventos como Braseiro – que é considerado o maior festival de carnes nobres do país – ajudam a ampliar o potencial da carne bovina mato-grossense e a dar a verdadeira dimensão dessa cadeia produtiva. Marco Túlio também é idealizador do Festival.

“O Festival Braseiro nasceu porque somos apaixonados por carne, estamos no maior Estado produtor dessa proteína e que tem o maior rebanho do Brasil – considerado também o sexto maior do mundo. A questão é que nem sempre o grande público tem noção de quão importante economicamente a carne bovina é para o Estado. Precisamos valorizar a criação de gado bovino em Mato Grosso”, avalia.

Neste viés, Marco Túlio destaca que a proteína animal pode ser explorada de diversas formas. “Uma delas, por exemplo, é gastronomicamente, que é um nicho de grande poder econômico e gerador de emprego e renda. Até porque possuímos a melhor carne do país. Inclusive, no Braseiro, o público poderá contar com carne de qualidade, com cortes selecionados e de raças diferenciadas – que têm ganhado cada vez mais espaço na pecuária nacional, como é o caso das raças Angus e Wagyu, além daquelas mais tradicionais como a Nelore”, pondera.

VALOR BRUTO – Nos últimos nove anos, o valor bruto da produção de carne bovina em Mato Grosso aumentou 50,24%, passando de R$ 7,856 bilhões em 2009 para R$ 11,803 bilhões em 2018. O valor corresponde a 18,50% do total que é gerado no campo em Mato Grosso, cuja previsão para este ano é de R$ 83,333 bilhões incluindo as produções agrícolas como soja, milho, algodão e cana-de-açúcar, como estima o Mapa. “Todos esses números revelam a grandeza e o importante papel que a carne bovina tem para a economia do Estado e do país”, reforça Marco Túlio.

EXPORTAÇÕES – O Brasil exportou mais carnes in natura em julho em relação a junho deste ano. Superado o efeito da greve dos caminhoneiros, que paralisou o escoamento no fim de maio e afetou o desempenho dos embarques em junho deste ano, o mercado registrou no sétimo mês do ano uma retomada no ritmo das exportações, segundo aponta um levantamento do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), divulgado no último dia 1.

Como tradicionalmente acontece no segundo semestre, a demanda externa também se mostrou aquecida. A exportação de carne bovina in natura somou 130,9 mil toneladas – volume 140,6% superior ao total de 54,4 mil toneladas embarcadas em junho. Na variação anual, o avanço foi de 24,4% perante as 105,2 mil toneladas vendidas ao exterior em julho de 2017. A receita com as vendas da proteína animal atingiu US$ 636,7 milhões em junho, aumento de 128,3% comparado ao mês anterior, quando o faturamento bateu em US$ 278,9 milhões. O montante é 42,7% maior que os US$ 446,2 milhões obtidos em igual mês do ano passado.

No acumulado dos seis primeiros meses de 2018, o desempenho da carne bovina in natura ainda é positivo. Os embarques somam 664,9 mil toneladas, 5,65% maiores do que as 629,3 mil toneladas embarcadas de janeiro a julho de 2017. A receita cresceu 13,1%, de US$ 2,538 bilhões para US$ 2,872 bilhões.

FESTIVAL BRASEIRO – No dia 8 de setembro, mais de 250 churrasqueiros irão se mobilizar para comandar 41 estações de preparo de carnes especiais e assar cerca de quatro toneladas de cortes de bovino, suíno, aves, peixe e cordeiro em harmonia perfeita com o clima de fazenda propício para confraternizações ao ar livre.

Realizado pela Associação Braseiro, o Festival Braseiro traz em seus pilares um cunho social. Todos os churrasqueiros trabalham voluntariamente e 100% do lucro será revertido para entidades – a serem definidas por meio de edital, previsto para abrir em agosto. A 5ª edição do evento ainda contará com shows da banda nacional Texas Radio, da dupla Paulo Mafra e Thulio Viola e do grupo Henrique Maluf & Cerrado Groove.

Vale destacar que o Festival Braseiro será realizado, a partir das 12h, no Clube dos Funcionários da Fundação MT, que está localizado ao lado do Horto Florestal, na Vila Goulart, em Rondonópolis (MT). Mais informações pela fan page https://pt-br.facebook.com/festivalbraseiro/.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.