Fazendas no sul da Bahia apresentam o melhor do chocolate a visitantes

Imagem do portal Brasil

A riqueza do cacau para a Bahia marcou a história, a cultura e a gastronomia das cidades do sul do estado. Ilhéus hoje é o expoente do cultivo do fruto no estado, e turistas são cada vez mais frequentes na região para conhecer as fazendas produtoras, em busca da experiência que a rota do chocolate proporciona.

O município recebeu, em março, o Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia (PCTSul) e o Centro de Inovação do Cacau (CIC), que consistem em estudar e desenvolver estratégias no auxílio aos agricultores para uma melhor produção.

Em 1989, uma praga, a vassoura-de-bruxa, foi implantada propositadamente nas plantações do País e fez com que o produto se tornasse impróprio para o comércio. A economia cacaueira foi abalada. Se antes o Brasil produzia quase 400 mil toneladas por ano, hoje a previsão é que esse número chegue a 274 mil, o que coloca o País na quinta posição dos maiores produtores.

Para lidar com a crise, os fazendeiros buscam alternativas de incentivo à economia e sustentabilidade. Uma das fontes rentáveis para os agricultores é o turismo nas fazendas de cacau. É ocasião para os amantes de chocolate conhecerem o processo de produção do fruto, experimentar o suco de cacau e, como não poderia ser diferente, saborear os chocolates totalmente produzidos na região.

Conheça parte das atrações para roteiro:

Festival do Chocolate

A rota do chocolate ganhou mais visibilidade com a 9ª edição do festival, de junho deste ano, que levou 60 mil visitantes a Ilhéus e injetou R$ 10 milhões na economia.

Fazenda Yrerê

Divulgação/ Ministério do Turismo

Fazenda Yrerê

Com 200 anos, há 11 recebe visitantes de várias partes do mundo, além de manter como produtora do fruto. As visitas de quase 4,5 mil turistas por ano são mais rentáveis que os 40 mil pés de cacau plantados.

Fazenda Provisão

Divulgação/ Ministério do Turismo

Fazenda Provisão

Há nove anos recebendo turistas, a Provisão tem 750 hectares e oferece um tour na plantação de cacau com informações da época, guiado por nativos da região. Com origem portuguesa, a fazenda chega a receber 500 turistas por mês.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Turismo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*