Domingo, 18 de Agosto de 2019

Estados
Terça-feira, 14 de Maio de 2019, 10h:16

AMOR

Mãe e filho se formam juntos em faculdade em Jacareí, SP

A conquista do diploma do ensino superior após 20 anos sem estudar vai ser ainda mais especial para Cristiane Nunes, de 42 anos. Nesta segunda-feira (13), ela colou grau junto com o filho, um jovem de 22 anos. Eles foram colegas de sala no curso de publicidade em uma faculdade em Jacareí (SP).

A vontade de retomar os estudos surgiu quando Cristiane ajudava o filho, Lucas Nunes, a escolher uma carreira. Durante as pesquisas, ela ficou interessada na profissão.

Porém, foi o destino que fez com que mãe e filho acabassem na mesma sala, na faculdade Anhanguera. “Por causa da minha rotina, do trabalho e também de cuidados com meu filho mais novo, eu me matriculei para estudar de manhã. Já o Lucas se matriculou para o período noturno. Como não fechou turma de manhã, acabei tendo que estudar junto com meu filho”, contou.

Cristiane relembra o dia que contou ao filho que estudariam juntos. Para ela, Lucas não pareceu empolgado, mas apoiou a mãe. Por isso, Cristiane sugeriu que eles fingissem que não se conheciam. Ela tinha receio que o filho fosse alvo de brincadeiras por estar com a mãe na escola.

“A gente combinou de fingir que não se conhecia, mas em menos de dois meses ele acabou esquecendo e me chamou de mãe na frente dos colegas. Foi bem engraçado, porque ninguém sabia. O pessoal da sala ficou surpreso, mas todo mundo gostou da novidade e continuaram nos tratando bem”, disse a mãe.

Lucas diz que, ao contrário do receio de Cristiane, nunca sentiu vergonha da mãe. Para ele, compartilhar a rotina de estudos com ela os aproximou ainda mais. “Nós sempre tivemos uma relação muito próxima e, com os trabalhos da faculdade, os projetos, um foi ajudando o outro a entender as matérias, tudo isso nos deixou ainda mais próximos”, afirmou.

 Segundo a mãe, até quando um professor faltava ou a aula acabava mais cedo, os dois não se desgrudavam. “A gente saía junto com a turma para tomar lanche, ir no cinema. Ele sempre foi muito engraçado e carinhoso comigo. Na faculdade continuou agindo da mesma forma”, disse orgulhosa.

Na sala de aula, além de se ajudarem, eles faziam uma competição saudável para ver quem tirava as melhores notas. “O pessoal brincava que quando eu ia bem, estava colando da minha mãe, mas nós dois éramos bem interessados pelas matérias, íamos bem em quase tudo”, contou Lucas.

Sobre a emoção dupla de ver a mãe se formando e também se formar no mesmo dia, Lucas diz que é uma das melhores emoções da vida. “É muito gratificante. Ela é a primeira filha da minha avó a se formar. É um orgulho que não tem tamanho”, contou.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.