Segunda-feira, 19 de Novembro de 2018

Estados
Quarta-feira, 11 de Julho de 2018, 16h:06

Súbita na Viatura

MATO GROSSO: Causa da morte de preso por mostrar pênis é inconclusiva

O primeiro laudo da morte de Luciano Anatálio Nascimento, de 55 anos, foi considerado inconclusivo. Luciano foi preso na terça-feira (3) após ser filmado mostrando suas partes intimas para menina de 12 anos, e morreu na quarta-feira (4) após mal súbito em uma viatura da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

O laudo pericial complementar tem previsão de ficar pronto em 60 dias no máximo.

A família de Luciano afirma que o homem foi morto por ter sido espancado por outros presos. O advogado dos parentes não acredita em morte natural.

A Sejudh espera o resultado do laudo pericial para se posicionar sobre o caso

 

Caso

 

Luciano Anatálio Nascimento, de 55 anos, foi preso na terça-feira (3), acusado de mostrar o pênis para uma adolescente, de 12 anos, a mãe acionou a polícia. Uma testemunha filmou a ação do indivíduo. O caso aconteceu no bairro Jardim Comodoro, em Cuiabá, no Mato Grosso. A menina contou que o acusado já havia ido outras vezes à entrada da escola onde ela estuda.

O vídeo foi entregue à policiais do 9º Batalhão.Em rondas, os policiais encontraram o suspeito em um bar.De acordo com informações da Polícia Militar (PM), o caso foi registrado por volta das 20h40, após a mãe da vítima entrar em contato com a polícia. Homem foi autuado por estupro de vulnerável.

O suspeito passou mal na viatura da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (sejudh)enquanto estava sendo levado para o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo Presídio do Carumbé, e morreu após ser socorrido. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para prestar socorro.

O acusado chegou a dar entrada no Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC), mas não resistiu e veio a óbito.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.