Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2018

Estados
Sábado, 01 de Dezembro de 2018, 18h:18

Dourados/ MS

"Matei gostosinho, é o que dá beijar mina dos outros", diz assassino

Fonte: Perfil News

(Foto: Adilson Domingos)

Um garoto de 16 anos de idade confessou ter assassinado Weslley Gonçalves da Silva, 24, o "Leello", na noite de terça-feira (27) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Peso hoje junto com outro adolescente, com a namorada e um maior de idade, o garoto confessou o crime e diz que matou por ciúmes.

"Matei gostosinho, porque ele deu um beijo na minha mina. Cê viu o que acontece com talarico [que se envolve com mulher comprometida]? Morre assim!", disse o adolescente, soltando uma gargalhada, ao ser perguntado por repórteres sobre o motivo do crime.

Além do assassino confesso, estão presos um menor de 17 anos, a menina de 16, pivô da história, e Wesley Ramires Braga, 18, único maior de idade no grupo. Os menores serão levados para a Unei (Unidade Educacional de Internação) e o maior de idade deve ir para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

O assassino confesso mora no Jardim Maracanã. O outro menor e Wesley Ramires moram no Jardim Canaã I. A adolescente no Jardim Guanabara, todos bairros da mesma região da cidade onde a vítima morava.

O corpo de Weslley Gonçalves da Silva foi encontrado na manhã de quarta-feira (28), na Rua Natal, na Vila Industrial. Ele tinha vários ferimentos no corpo e nos braços, indicando que tentou se defender.

O adolescente que confessa o assassinato diz que o maior e o outro menor foram contratados por ele apenas para levar o carro da vítima um Fiat Palio, para o Paraguai. Entretanto, o delegado Rodolfo Daltro, do SIG (Serviço de Investigações Gerais), afirma que os dois seguraram Weslley para que o adolescente o esfaqueasse.

Wesley Ramires e os dois adolescentes foram presos por policiais de Dourados em Ponta Porã. A menina foi detida em sua casa, em Dourados.

De acordo com a investigação policial, o adolescente que confessa a morte teria descoberto mensagens deixadas pela vítima na página da menina no Facebook. Ele e a namorada marcaram encontro com Weslley.

Quando chegou ao local do suposto encontro, Weslley foi rendido, colocado dentro do carro e levado até o local onde foi morto a facadas e depois o corpo deixado na Vila Industrial. Segundo a polícia, a menina ajudou a atrair a vítima.

Os três seguiram para a fronteira e venderam o carro para receptadores de Pedro Juan Caballero. O mentor do crime disse que foram ludibriados pelos compradores paraguaios.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.