Sábado, 20 de Julho de 2019

Estados
Quinta-feira, 04 de Julho de 2019, 15h:17

Distrito Federal

DPDF promove formatura de 80 jovens da 15ª turma do projeto Conhecer Direito

Morgana Nathany, da Assessoria de Comunicação DPDF

Imagem da assessoria

Nesta terça-feira (2), a Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) realizou a formatura de 80 alunos da 15ª turma do Projeto Conhecer Direito. O curso proporciona conhecimento jurídico básico para alunos do ensino médio da rede pública de ensino do DF e é ministrado por defensores e parceiros da Defensoria Pública. Nesta 15ª edição do projeto, foi entregue a maior premiação da história de quase uma década da iniciativa, com 50 bolsas de estudo de cursos universitários das Faculdades Mauá, que variam de 50% a 100% (com ingresso a partir da aprovação na prova de vestibular), e que foram selecionadas por meio do ranking do simulado aplicado. Além disso, foram sorteadas dezenas de bolsas integrais e parciais para cursos pré-vestibulares, PAS e ENEM pelo curso Escrita Única. A atividade é uma parceria entre a DPDF, a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF), o Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), as faculdades Mauá e o Instituto Brasileiro de Educação em Direitos e Fraternidade (IEDF), e as disciplinas ofertadas são relacionadas às regras básicas que orientam a vida humana.

Na ocasião, compuseram a mesa de honra a defensora pública-geral do Distrito Federal, Maria de Nápolis; o deputado distrital, Leandro Grass; o presidente da associação dos magistrados do Distrito Federal e Territórios, o juiz Fábio Esteves; a chefe da Assessoria Especial de Relações Institucionais da  Secretaria de Educação do Distrito Federal, Vanessa Garcez; a coordenadora do curso de Direito do Centro Universitário De Brasília (UniCEUB), Dulci Furquim; a diretora geral da faculdade Mauá, Dalma Onório Arruda; a representante do Escrita Única – pré vestibular, Sharlene Leite; e a presidente do Instituto Brasileiro de Educação em Direitos e Fraternidade (IEDF), Sandra Taya.

A defensora pública-geral do DF, Maria de Nápolis, fez um agradecimento especial a todas as instituições parceiras do Conhecer Direito. Para ela, “é na parceria que a gente faz esse projeto crescer. Para mim, o fator mais importante é transformar a realidade em que a gente vive. Isso nos traz gratidão.” A defensora também contou um pouco de sua trajetória como estudante para incentivar os alunos. “Assim como vocês, eu também estudei em escola pública e vim de uma família muito simples. Às vezes vocês podem pensar que não vão conseguir, mas saibam que, assim como eu cheguei até aqui, vocês também podem chegar. Estudem! A educação é a chave para tudo. Pela educação a gente consegue vencer”, disse.

Em sua fala, o deputado distrital Leandro Grass disse aos estudantes: “Essa oportunidade é o tipo de coisa que ninguém vai tirar de vocês, o conhecimento. Ele nos proporciona liberdade de fazer escolhas, e a educação liberta da insegurança, do preconceito. A Defensoria está de parabéns por promover esse projeto. Então, jovens, se dediquem e lá na frente vocês verão como foi bom. A educação transforma a vida das pessoas. Continuem e alcancem outras oportunidades. Parabéns, esse é o Brasil que dá certo!”

Segundo o juiz Fábio Francisco Esteves, “eventos como esse são aqueles em que a gente para tudo para vivenciar”. Esteves leu um poema de Manoel de Barros em homenagem ao diretor da Easjur e aos pais dos alunos, e disse que é necessário “carregar um senso de justiça de que esse espaço é nosso e que vai depender de nós torná-lo melhor ou pior. O que estamos fazendo aqui é criando uma cultura de buscar respeitar e reconhecer que somos seres únicos e que, dentro do conceito social, o respeito é a base de tudo”, pontuou.

A coordenadora do curso de Direito do UniCEUB, Dulci Furquim, agradeceu a oportunidade e destacou a troca de conhecimentos que o curso fornece. “Hoje estou aqui primeiramente para agradecer. Nós do UniCEUB estamos contribuindo para a formação de cidadãos, mas também estamos aprendendo e compartilhando conhecimento. Quando a gente sonha junto, é possível concretizar. Parabéns aos alunos, aos pais e a todos que abraçam essa ideia!”, declarou.

O coordenador do curso de Direito da Faculdade Mauá, Regino Francisco descreveu o projeto como algo “transformador” e ressaltou: “O nível de consciência e aprendizado dos alunos me surpreendeu. Esse projeto da Defensoria é muito competente com aquilo que promete”. A diretora geral das Faculdades Mauá, Dalma Honório Arruda, destacou a importância do projeto para os jovens. “Façam valer essa oportunidade, pois a educação pode te levar a qualquer lugar”.

Na oportunidade, a presidente do IEDF, Sandra Taya agradeceu e parabenizou os alunos do Conhecer Direito e leu um poema de Cora Coralina, que diz “muito tinha colhido do que outros semearam”. E complementou: “Vocês agora se tornam semeadores da educação em direitos.” Sandra homenageou também o diretor da Easjur, Evenin Ávila, lendo o poema “o menino que carregava água na peneira”, do autor Manoel de Barros.

Ivelise Longhi, coordenadora da Câmara de Cidadania do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico do DF (Codese/DF), também prestigiou os alunos e ressaltou a importância do projeto, parabenizando todas as instituições parceiras pela iniciativa.

A chefe da assessoria especial das Relações Institucionais da Secretaria de Educação do DF, Vanessa Garcez, comentou que “quando pensamos em educação transformadora, pensamos em projetos como esse. Eu agradeço a todos pelo esforço para realizar esse projeto. Quando ensinamos ao aluno e ele entende sobre direitos e deveres, fortalecemos a cultura de paz”.

Na sequência, dois oradores fizeram seus discursos representando a turma. A aluna Luiza Galvão disse: “Antes do curso eu não entendia quase nada, eu sentia que o universo do Direito era algo muito distante. Hoje, posso afirmar que sou uma pessoa com uma visão de mundo diferente e que, mesmo jovem, posso correr atrás dos meus direitos e também dos direitos de outras pessoas. Foi por meio desse curso que escolhi a minha profissão, quero ser defensora pública. E através desse curso vamos mostrar que podemos vencer e fazer a diferença. Obrigada a todos que se empenharam para que esse projeto aconteça!” 

O aluno Vinícius Octávio, por sua vez, falou sobre troca de experiências. Para ele, “o projeto foi uma ressignificação de tudo que já vivemos. Foi o espaço no qual nós fomos os protagonistas e aqui nós compreendemos que em todos os sistemas há falhas, e para compreender isso, nós precisamos da educação em direitos para que possamos criar uma sistema menos falho. E justiça não é apenas aquilo que está na lei. Justiça é lutar por nossos direitos. Esse é o lugar que dá fruto. Nós somos o futuro. E vocês, da mesa, viraram heróis pra nós”.  

 Para finalizar as falas, o diretor da Easjur, Evenin Ávila, relatou: “Para mim, estar aqui hoje é uma alegria única. Nesses 39 anos de idade e quase 10 anos de educação em direitos, estar aqui hoje compartilhando esse momento é maravilhoso”. Evenin ressaltou aos alunos que “não tem nada fácil na vida, mas esse despertar hoje é essencial. Tenham raiva. A raiva boa. Peguem as informações e tragam para a sua plataforma íntima. Primeiro dentro da família, honrando pai e mãe, depois na escola, depois no trabalho. Nós estamos no momento propício para avançar e só quem esteve aqui pode relatar a experiência vivida. A minha alegria e o meu agradecimento a todos vocês parceiros e meninos e meninas que passaram por aqui. Eu tenho certeza que os pais de vocês estão com muito orgulho de vocês por estarem estudando algo que não tinha nada a ver com o ensino médio. E vocês vieram. Esse é um projeto de educação que iguala, sem distinção”. O diretor da Escola definiu, ainda, o sentimento de dever cumprido: “Fico feliz porque eu fiz algo verdadeiro no sentido de edificar o ser humano na minha trajetória profissional. Nós temos que dá o exemplo para o resto do Brasil. Fica o meu agradecimento sincero a todos. A Defensoria está fazendo tudo que pode para ser exemplo”.

Essa foi a segunda turma do Conhecer Direito a contar com a liberação de carga-extra ao passe estudantil pelo DFTrans, viabilizando a mobilidade dos alunos para assistirem as aulas. Tal incentivo foi possível graças ao Decreto nº 39.321, assinado e publicado pelo Governo do Distrito Federal, que oficialmente tornou realidade a promoção e difusão da educação em direitos junto aos estudantes das escolas públicas.

A emocionante cerimônia se encerrou com a entrega dos diplomas de conclusão do curso. Milhares de jovens já participaram do projeto e transformaram suas vidas por meio da educação em direitos e, a partir do mês de agosto, a Defensoria Pública do DF ampliará ainda mais o seu campo de atuação dentro dessa temática.

Morgana Nathany, da Assessoria de Comunicação

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.