Quarta-feira, 17 de Julho de 2019

Estados
Terça-feira, 15 de Janeiro de 2019, 19h:17

CAMPO GRANDE / MS

Adolescente é estuprada e se joga de morro para fugir de agressor

Ilustração

Uma adolescente de 16 anos procurou a polícia após ser sequestrada e estuprada dentro de um carro, no topo de um morro de Camapuã, a 140 km de Campo Grande. De acordo com a ocorrência, o suspeito do crime seria um jovem de 19 anos, o mesmo que estrangulou e matou uma transexual no último dia 20 de dezembro na mesma cidade.

G1 teve acesso ao depoimento da vítima nesta terça-feira (15), porque a jovem só decidiu se pronunciar porque o suspeito está preso desde o último dia 22, por matar a transexual, com quem manteve um relacionamento de pelo menos 6 meses, segundo a polícia. A investigação classifica o suspeito com "perfil de psicopata".

Segundo a polícia, a jovem disse que na noite do crime, na primeira quinzena de novembro, estava na mesma conveniência em que o suspeito se encontrava. Ela afirma que naquela noite, ele a "observava o tempo todo". Em determinado momento, a vítima foi ao banheiro, por volta da meia-noite e como a fila estava muito grande, decidiu ir até uma praça da cidade para usar o sanitário, que fica a três quadras do local.

De acordo com o relato, ela foi abordada pelo suspeito quando chegava ao banheiro, e com um golpe de 'mata-leão' (mesmo golpe que o suspeito disse à polícia ter usado para imobilizar a transexual), o rapaz a jogou dentro do carro. Ela foi levada para um morro da cidade que fica a 2 quilômetros da região central, onde foi estuprada por cerca de 20 minutos, no banco da frente do veículo.

Adolescente de 16 anos se joga de morro para fugir de jovem que a sequestrou e estuprou, em Camapuã (MS) — Foto: Divulgação/Polícia Civil

A moça ainda relatou à polícia que o jovem começou a enforcá-la com as duas mãos, e disse que iria matá-la, porque se escapasse, tinha certeza que ela iria denunciá-lo. A adolescente só conseguiu fugir após dar uma cotovelada no abdômen dele e abrir a porta do carro. Para fugir do agressor, ela jogou-se morro abaixo.

Segundo a polícia, a adolescente ficou bastante ferida na queda. Depois de bater em uma cerca de arame farpado, ela caminhou cerca de 800 metros até conseguir pedir ajuda em uma casa. A jovem foi socorrida por uma mulher que acionou o pai dela.

Em depoimento, o pai da jovem informou que a filha chegou em casa de madrugada "toda ensaguentada". Ela disse que tinha sido estuprada pelo jovem e também contou que ele teria tentado matá-la. Pai e filha decidiram não procurar a polícia no momento, porque estavam com medo das ameaças feitas pelo rapaz.

 

Local em que jovem de 16 anos teria sido estuprada, em Camapuã é conhecido como "Antena" — Foto: Divulgação/Polícia Civil

A jovem ainda informou em depoimento, que outra mulher também disse que foi vítima do suspeito. A polícia procura por ela, mas até a publicação dessa reportagem, não obteve informações sobre a identidade dela.

De acordo a investigação, a jovem será submetida a exames da perícia médica legal, em Coxim (MS), onde fica o Instituto Médico Legal (IML), que atende a região de Camapuã. A adolescente será encaminhada para o Centro de Apoio Psicossocial Álcool e Droga (Caps), onde fará um acompanhamento psicossocial.

Se comprovado o crime, o jovem irá responder por estupro de vulnerável, com pena de 8 a 15 anos de reclusão.

 

Assassinato de transexual teve mesmo perfil

O jovem de 19 anos que confessou ter matado por estrangulamento a transexual Márcio Rodrigues de 29 anos, no dia 20 de dezembro teria mudado a versão (de que matou porque teria sido "tocado"), e disse que havia mantido relação sexual antes do assassinato. O corpo de Márcio foi encontrado em um milharal, no mesmo bairro em que os dois moravam. O inquérito foi concluído pela Polícia Civil no último dia 31.

De acordo com a polícia, os dois começaram a beber na noite anterior ao crime em um bar da cidade, quando, em determinado momento, o autor teria "mexido" com uma jovem que estava em outra mesa. A transexual, que estava em outro ponto do estabelecimento, não teria gostado da postura do suspeito.

O suspeito se apresentou no mesmo dia do crime, e como não foi pego em flagrante e também por não ter antecedentes criminais, foi liberado. Porém, por conta da gravidade do crime, o delegado representou ao juiz criminal da comarca da cidade pela decretação da prisão preventiva do suspeito. Ele foi preso no último dia 22.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.