Era Trump marca 2017 com polêmicas envolvendo refugiados, Jerusalém e o ‘não’ ao acordo de Paris

Imagem da Agência Brasil

Donald Trump assumiu a presidência dos Estados Unidos em janeiro e passou a implementar mudanças para desfazer um projeto de um país mais globalizado e progressista de seu antecessor, Barack Obama.

No que dependia do Executivo, Trumpo começou com medidas efetivas, como o anúncio de que os Estados Unidos iriam abandonar as negociações para a parceria Transpacífico, o acordo comercial com países asiáticos que havia sido assinado no ano passado, sinalizando os primeiros indícios de uma política comercial mais protecionista.

Pouco depois, veio uma medida na área de segurança, o decreto para barrar a entrada de refugiados e cidadãos de sete países muçulmanos nos Estados Unidos.

Na primeira viagem internacional como presidente, escolheu como aliados a Arábia Saudita e Israel, onde visitou o Muro das Lamentações, já antecipando o que seria uma das decisões mais polêmicas do ano, o reconhecimento de Jerusalém como capital israelense, que viria só em dezembro. Confira com Paola de Orte.  As informações são da RadioAgência Nacional.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*