29 de Maio de 2017

Facebook Twitter Google Plus rss
Mapa do Brasil
Domingo, 20 de novembro de 2016, 15h56 Tamanho do texto A- | A+


ENTREVISTA DA SEMANA / Nosso país

Crise econômica e corrupção

A crise não é só econômica. O principal problema é a corrupção política, que desestabiliza toda a economia no sistema democrático

 

Nesta terça-feira será  votado na comissão especial da Câmara dos Deputados o pacote das 10 medidas contra a corrupção. O professor universitário, advogado e autor de livros como "As raízes do Crime Organizado", J. Haroldo dos Anjos, fala sobre a corrupção no país, que é endêmica.

 

Brasil Notícia: A que o senhor atribui a origem da crise econômica no país?

 

J. Haroldo: A crise não é só econômica. O principal problema é a corrupção política, que desestabiliza toda a economia no sistema democrático. É mais ou menos como se fosse um câncer que vai corroendo todo o organismo. No caso, o que está sendo corroído é o tecido social. E isso em todos os setores da economia como estamos vendo aí. A Petrobras é um caso isolado. Estamos pegando a ponta do iceberg, mas o problema é bem maior. O que temos é um sistema corrupto, endêmico que é compartimentado e que atinge a toda sociedade.

 

Brasil Notícia: Na sua opinião, qual seria a melhor saída para a crise?

 

J. Haroldo: Não sou economista, minha formação é Filosofia e Direito, mas no meu ponto de vista, qualquer que seja o plano econômico, se não tiver redução de gastos, reajuste fiscal (não para aumentar, e sim para reduzir), controle de preço e serviços, não tem como. E vou te explicar o motivo: sem o combate ostensivo da corrupção, nada vai ser resolvido. Corrupção essa que funciona através de organizações criminosas, infiltradas dentro do próprio Estado. É uma verdade lamentável. O dinheiro sujo é lavado dentro do próprio sistema capitalista, corporativo e econômico. Uma Força Tarefa feita na Itália, que deveria ser seguida como exemplo por nós para combater a corrupção, foi a "Operação Mãos Limpas", que lançou um pacote anticorrupção e pela desburocratização. Porque, na verdade, o fator gerador da corrupção é a burocratização. Qualquer plano econômico sem um plano anticorrupção não vai dar certo.

 

 

Brasil Notícia: Quais sãos os fatores preponderantes da corrupção?

 

J. Haroldo:  São os fatores políticos, psíquicos e de índole moral. O fator de índole moral é o prevalente. Grandes exemplos são as clínicas clandestinas de aborto, a pessoa que suborna o guarda de trânsito, a pirataria... E essa corrupção é endêmica na cultura brasileira, porque tem aceitação e tolerância social. E ainda tem uma outra questão: a corrupção acaba servindo como uma válvula de escape para desenterrar a máquina pública. Por exemplo: o sujeito vai tirar uma carteira de motorista ou outro documento, diante de tanta burocracia, acaba pagando para não se aborrecer. É assim que a corrupção funciona. Nas pequenas e grandes coisas.

 

Brasil Notícia: Qual a corrupção mais grave e que gera mais insegurança na população?

 

J. Haroldo: A corrupção política e econômica. Essa que estamos vivendo. Praticada pela classe política, agentes econômicos, órgão de repressão, órgão de fiscalização, enfim, por aqueles que exercem poder. Corrupção é crime de poder. Aquele que oprime o cidadão. E isso só vai ter fim quando se aprender que corrupção não se combate com papel, mas com atitude!

 



AVALIE:
1
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Enquete

Quantas vezes você já doou sangue?

Uma vez

Duas vezes

Três ou mais

Nunca

  • Parcial Votar

PREVISÃO DO TEMPO

NEWSLETTER

Preencha o formulário abaixo para
receber nossa newsletter:




Copyright © 2014 Brasil Notícia - Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização por escrito dos responsáveis.