Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2021

Economia
Terça-feira, 24 de Novembro de 2020, 09h:33

Maior variação para o mês desde 2015

Prévia da inflação subiu 0,81% em novembro, diz IBGE

Fonte: Poder 360

Sérgio Lima/Poder360 - 12.set.2020

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15), considerado a prévia da inflação oficial, subiu 0,81% em novembro. O percentual representa a maior variação para o mês desde 2015, quando aumentou 0,85%.

No ano, o índice acumula alta de 3,13%. O acumulado dos últimos 12 meses é de 4,22%, acima dos 3,52% registrados em outubro. Eis a íntegra (329 KB) dos dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta 3ª feira (24.nov.2020).

De acordo com o IBGE, todos os grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta de preços em novembro. O destaque foi a alta nos valores para alimentação e bebidas, que subiram 2,16% no mês. Só este segmento contribuiu com 0,44 ponto percentual no índice geral.

Os preços dos alimentos foram impulsionados durante a pandemia de covid-19. A equipe econômica do governo federal têm dito que os auxílios do governo federal, em especial o auxílio emergencial, contribuíram para manter o nível de renda das famílias. Para parte da população, a recomposição de remuneração foi ainda maior do que no pré-crise.

 

 

Os preços dos alimentos para consumo no domicílio subiram 2,69%. Conheça a alta de preços em alguns alimentos em novembro:

  • carnes (4,89%);
  • arroz (8,29%);
  • batata-inglesa (33,37%);
  • tomate (19,89%);
  • óleo de soja (14,85%)

Já a alimentação fora de casa acelerou de 0,54% de alta em outubro para 0,87% em novembro, principalmente em função do aumento no preço do lanche (1,92%). A refeição, por sua vez, variou 0,49% acima da alta de 0,93% registrada no mês anterior.

O 2º maior impacto no IPCA-15 veio dos Transportes (1%). Apesar da nova alta, houve desaceleração frente ao mês anterior (1,34%). Já os grupos artigos de residência (1,40%) e habitação (0,34%) apresentaram resultados próximos aos de outubro, quando variaram 1,41% e 0,40%, respectivamente.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.