Terça-feira, 02 de Março de 2021

Economia
Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021, 11h:04

Estoque chega a R$ 6,615 trilhões

Dívida bruta sobe R$ 1,1 trilhão em 1 ano e chega a 89,3% do PIB

Fonte: Poder 360

Sérgio Lima/Poder360 - 2.mar.2017

A dívida bruta do país chegou a R$ 6,615 trilhões em 2020, o que corresponde a 89,3% do PIB (Produto Interno Bruto). O percentual é o maior já registrado na história.

Os dados foram publicados nesta 6ª feira (29.jan.2021) pelo BC (Banco Central). Eis a íntegra (377 KB).

O endividamento bruto considera governo federal, INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e os governos estaduais e municipais. A dívida em relação ao PIB aumentou 15 pontos percentuais em comparação com 2019, quando esteve em 74,3% do PIB.

Em valores, o estoque subiu de R$ 5,5 trilhões para R$ 6,615 trilhões, o que corresponde a aumento de R$ 1,1 trilhão.

 

 

No ano, o aumento de 15 pontos percentuais foi resultado, em especial, das emissões líquidas de dívida (aumento de 9,1 p.p.), da incorporação de juros nominais (aumento de 4,7 p.p.), e da desvalorização cambial acumulada (aumento de 1,3 p.p.).

A dívida líquida alcançou R$ 4,670 trilhões (63% do PIB) em 2020. Aumentou 8,5 p.p., evolução decorrente, em especial, do deficit primário acumulado (aumento de 9,5 p.p.), dos juros nominais apropriados (aumento de 4,2 p.p.), do efeito da desvalorização cambial acumulada de 28,9% (redução de 4,3 p.p.), e do ajuste da paridade da cesta de moedas da dívida externa líquida (redução de 0,9 p.p.).

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.