Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2019

Cidades
Quarta-feira, 02 de Janeiro de 2019, 17h:10

coma induzido / mt

Jovem atropelada acorda de coma e afirma não lembrar do acidente

Gazeta Digital

Divulgação

á 2 dias, a estudante Hya Girotto, 21, atropelada em frente à casa noturna Valley Pub, em Cuiabá, acordou do coma induzido e não se lembra do acidente. Ela está internada no Hospital Geral Universitário (HGU) e é a única sobrevivente do atropelamento que vitimou o cantor sertanejo Ramon Alcides, 25, e a estudante Myllena Inocêncio, 22.  

"É com muita alegria que informamos que hoje os médicos retiraram a sedação e o tubo de oxigênio de Hya. Felizmente ela já consegue respirar sozinha. Acordou bem agitada, conseguiu falar algumas palavras. Porém a voz dela quase não saiu, pois ficou mais de uma semana com um tubo de oxigênio na garganta", diz a publicação da página no Instagram TodosPorHyaGirotto, em que familiares compartilham seu estado de saúde. 

No dia 23 de dezembro, os jovens saíam da boate quando foram atropelados pela professora Rafaela Screnci, 33. De acordo com a Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran), a condutora da caminhonete trafegava pelo sentido bairro-centro quando atingiu os pedestres. Eles foram socorridos pela equipe médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhados para o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá.    

Myllena morreu na hora e os outros 2 ficaram em estado gravíssimo. O cantor sertanejo morreu 5 dias após o acidente com traumatismo craniano. Hya foi a única sobrevivente. 

 

Por meio das redes sociais, amigos da jovem fizeram uma "vaquinha" com o intuito de arrecadar dinheiro para custear despesas futuras, como tratamento psicológico e acompanhamento de um fisioterapeuta. Até esta quarta-feira (2), R$ R$ 5,2 dos R$ 10 mil pedidos já foram angariados. 

"Fica o nosso muito obrigada a todos que estão orando por nossa menina. Somente Deus poderá retribuir esse carinho e gratidão que estamos sentindo por todos. Temos muito caminho a percorrer, por isso contamos com as orações de todos vocês", finaliza a publicação. 

O caso 

Depois de atropelar os jovens, Rafaela se negou a fazer o teste do bafômetro e foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) para fazer exames clínicos e, em seguida, conduzida para Central de Flagrantes para medidas criminais e administrativas. 

A suspeita ganhou liberdade no dia 24 de dezembro, após passar por audiência de custódia. Conforme decisão do juiz Jeverson Quinteiro, Rafaela deve pagar fiança estabelecida em R$ 95, mil. Como medida cautelar, ela teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) recolhida, deve comparecer mensalmente em juízo e se recolher rotineiramente nos períodos noturnos e aos finais de semana.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.