Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019

Cidades
Quinta-feira, 18 de Julho de 2019, 20h:47

Os criminosos utilizaram o nome de empresa

Empresários estrangeiros são vítimas de estelionato em Cascavel

Fonte: CGN

Ueslei Marcelino/Agência Brasil

Empresários estrangeiros foram vítimas de estelionato praticado através de sites falsos, quando acreditavam estarem realizando negócios para compra de frango congelado de uma empresa do ramo, em Cascavel.

Proprietários de empresas de 'trading' (negociações no mercado financeiro), uma delas sediada em Portugal e outra nas Ilhas Seychelles, na busca de fornecedores, acessaram um website onde obtiveram e-mail e endereço eletrônico para realização de negócios, tendo mantido contato com um homem que se identificava como funcionário de uma empresa situada em Cascavel.

Os contratos que foram fechados pelas empresas alvos da ação teriam sido em valor superior a 416 mil dólares, referente à cerca de 567 toneladas de franco congelado.

A carga seria destinada para os Emirados Árabes Unidos e Venezuela, quando anteciparam o pagamento de mais de 66 mil dólares, valor que foi transferido para um banco na Espanha, onde supostamente a empresa de Cascavel teria conta.

Formalizada a negociação, através de documentos registrados em e-mails e contatos por aplicativo de mensagens, os empresários aguardavam a remessa da mercadoria, que não chegava. 

 
 

O empresário de Portugal decidiu vir ao Brasil, a fim de conhecer a empresa e verificar a qualidade do produto enquanto que outro empresário fez contatos telefônicos, quando constataram que se tratava de um site falso e que haviam caído em um golpe de estelionatários internacionais.

Um representante da empresa cascavelense e o empresário de Portugal, estiveram na 15ª SDP (Subdivisão Policial) nesta quarta-feira (17), quando registraram a ocorrência. O caso deverá ser repassado para a Polícia Federal em razão da atribuição legal.

Em 2017, em caso semelhante, de mesmo 'modus operandi', dois empresários da África do Sul, também do ramo de carnes, pretendiam comprar 100 toneladas de carne e realizaram negócios em um site falso, com o nome de uma cooperativa da região Oeste do Paraná.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.