Sexta-feira, 19 de Abril de 2019

Cidades
Terça-feira, 29 de Janeiro de 2019, 19h:48

Mato Grosso

Casarão na região central de Cuiabá desaba durante chuva

Gazeta Digital

João Vieira

Chuva durante a madrugada e no começo da manhã desta terça-feira (29), em Cuiabá, ocasionou o desabamento parcial de um casarão na Avenida Voluntários da Pátria, esquina com a 7 de setembro, região central.

 

O acidente aconteceu às 7h20 e os escombros quase atingiram uma viatura da Polícia Militar (PM) que passava pelo local. Não há registro de feridos. 

 

Casarão está localizado entre o Museu de Imagem e Som (Misc) e uma base da PM.  Ele fica em frente à Igreja Nossa Senhora dos Passos.    

 

Toda a região está interditada pois a rede de energia está ligada e há risco de curto circuito. O Corpo de Bombeiros atua no local.   

 

Nas redes sociais, internautas reclamam sobre a atuação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) com os casarões tombados do Centro Histórico.   

 

"Acho que para o poder público é isso que significa tombamento e como esse ainda haverá muitos", disse um internauta.   

 

Em setembro de 2018, um casarão no bairro Baú, também na região central, foi destruída pelo fogo depois de um curto-circuito. A casa também era tombada. A principal reclamação dos moradores é que o instituto não autorizava as reformas com facilidade e a fiação era antiga.  

 

A reportagem tentou contato com o Iphan em Brasília, que não respondeu os questionamentos até a publicação desta matéria.

 

A prefeitura de Cuiabá afirmou que o desabamento parcial não afetou o Misc. “A Prefeitura de Cuiabá informa que o desabamento de uma residência ao lado do Museu de Imagem do Som de Cuiabá (Misc) não oferece nenhum risco à estrutura do casarão. Isso porque a empresa responsável por sua reforma, concluída em 2018, já havia identificado problemas estruturais no imóvel vizinho, tomando todas as medidas necessárias para preservar o Museu”, afirmou a assessoria de imprensa.

 

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) lamentou o desabamento, classificado por ele como uma perda para história de Cuiabá, que completa 300 anos no próximo mês de abril. “Embora seja motivo de tristeza o que aconteceu com a edificação, agradecemos que nenhuma pessoa estivesse dentro da casa ou tenha sido atingida pelos escombros”, disse.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.