Domingo, 20 de Setembro de 2020

Brasília
Quarta-feira, 20 de Maio de 2020, 13h:57

Minas Gerais

Pesquisador mineiro desenvolve válvula que bloqueia pragas urbanas e até a procriação do mosquito da dengue em “bocas de lobo”

Por Rosânia Felipe
Nova Lima (MG)

Válvula Moynes: Sérgio Nestor

Uma tecnologia simples e inovadora que funciona como barreira física em bocas de lobo contra pragas urbanas, reprodução do mosquito Aedes aegypti, eventuais odores e bloqueia a entrada de detritos, sem causar danos ao meio ambiente. Este é o objetivo da Válvula MOYNES, desenvolvida por Sérgio Nestor, morador de Nova Lima, Minas Gerais.

 

Entre as vantagens, Sérgio destacou: instalação fácil; redução do índice de doenças; economia de gastos com a dedetização e saúde pública; mais segurança das bocas de lobo; não interferência no funcionamento das bocas de lobo; funcionamento em qualquer inclinação; material resistente à corrosão e ao ataque de roedores. “A válvula foi testada inúmeras vezes. 

Foi aprovada com excelência em testes duradouros realizados por uma empresa de engenharia e na Associação dos Moradores do Alphaville. Em Nova Lima e Belo Horizonte, há válvulas operando plenamente, sem interrupção, em vários locais”, explicou.

 

 

PATENTE
A patente para essa disposição construtiva aplicada a módulo de vedação encaixável para bueiro, boca de lobo e caixa de passagem foi concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial como modelo de utilidade em 2018 com o número de registro Nº BR 202014003578-3

 

Válvula Moynes

 

PROJETO DE LEI 594/2019

 

O Projeto de Lei, de 1º de abril de 2019, autoriza a implantação de Dispositivo Móvel para Boca de Lobo nos logradouros públicos do Estado de Minas Gerais, como forma de prevenir e minimizar os problemas causados pela migração de pragas urbanas presentes nas redes coletoras de água de chuva e esgoto, minimizar a emissão de odores, bem como evitar acúmulo de resíduos.

 

Na justificativa deste projeto, consta que o Dispositivo suprime a utilização de produtos químicos no combate às pragas urbanas, pois constitui em barreira física contra a migração desses animais que infestam as redes coletoras de água e esgoto das nossas cidades.

 

Os pequenos materiais, que normalmente são carregados diretamente para dentro das redes coletoras de água, ficam retidos na superfície, o que facilita o processo de limpeza da boca de lobo.

 

Uma vez que ele permanecesse sempre fechado, esse tipo de equipamento minimiza a emissão de odores, principalmente no verão. Com tudo isso, a incidência de doenças causadas pelos animais que abundam os nossos municípios, inclusive dengue e outras, reduzirão consideravelmente em nosso Estado.

 

Os casos de alagamentos provocados por entupimento das vias de escoamento da água de chuva serão minimizados consideravelmente. “Assim, acreditamos que a adoção desses mecanismos significará expressiva redução de despesa pública para os itens de saúde e manutenção urbana, e exponencial melhoria da qualidade de vida da população”.

 

Pesquisador Sérgio Nestor

Sérgio Nestor

Sérgio Nestor
Cel.: 31 996360664
Email: sergiomoynes@gmail.com
Instagram:valvulamoynes

 


 

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.