Brasil é referência mundial em aleitamento materno

Foto: Agência Brasil/Central de Conteúdo/EBC

O Brasil é destaque internacional em amamentação. No ano passado, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) reconheceu o País como referência no tema, sobretudo quanto às doações. O aleitamento materno é uma das fontes de nutrientes mais eficazes aos bebês até os seis meses de vida.

Entre 2008 e 2014, 1,1 milhão de brasileiras doaram seu leite aos bancos do País, tornando o Brasil a nação com mais doadoras no mundo. Por aliar estratégias de baixo custo com alta qualidade na implantação de bancos de leite, o Brasil passou a transferir tecnologias para 24 países da América Latina, Caribe, Península Ibérica, África e mais alguns países europeus.

Como parte das ações de incentivo à amamentação, o Ministério da Saúde promove a Campanha de Doação de Leite Materno. A partir deste ano, os prédios públicos serão iluminados na cor dourada como símbolo do Agosto Dourado. O aleitamento é considerado padrão ouro de alimentação para crianças pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Benefícios

Em 2001, a OMS ainda reconheceu a Rede Global de Bancos de Leite Humano como uma das ações que mais contribuíram para redução da mortalidade infantil no mundo na década de 1990. De 1990 a 2012, a taxa de mortalidade infantil no Brasil caiu 70,5%.

A amamentação é essencial para as crianças até dois anos, pois reforça a proteção contra infecções, diarreias e alergias, reduzindo a mortalidade infantil. Por isso, o Ministério da Saúde e a Rede Global de Bancos de Leite Humano promovem todos os anos a Campanha Nacional de Doação de Leite Humano.

Bancos de Leite

A estratégia de Bancos de Leite Humano (BLHs) do Brasil, desenvolvida há 32 anos pelo Ministério da Saúde, beneficiou, entre 2009 e 2016, mais de 1,8 milhão de recém-nascidos com a coleta e distribuição de leite.

Os dados das doadoras são cruzados pelo banco, e as características do leite são analisadas para que a distribuição seja específica, de acordo com as necessidades de cada bebê. Com apoio de mais de 1,3 milhão de mulheres doadoras, a rede coletou aproximadamente 1,4 milhão de litros de leite no período.

No ano passado, 165 mil bebês prematuros, que nasceram com menos de 2,5 quilos, foram beneficiados pelas doações de leite. Ao todo, 182 mil litros foram coletados nos 199 postos de coleta espalhados pelo País.

As informações são do Ministério da SaúdeFio Cruz e Opas

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*