Sábado, 21 de Julho de 2018

Artigos
Quinta-feira, 28 de Junho de 2018, 11h:02

Ana Paula Barros

Orgulho LGBT, Toda forma de amor valerá!

Ana Paula Barros

No Dia Internacional do Orgulho LGBT, quero exaltar o brilho e coragem deste público, que não se omite diante de uma sociedade homofóbica e que lutam diariamente contra o preconceito e a violência, para garantir que seus direitos e escolhas sejam respeitados.Quando penso na comunidade, penso em um grupo forte que luta contra a adversidade e que se une para promover a mudança de pensamento de toda uma sociedade. Suas diferenças os tornam especiais e devem ser celebradas com muito orgulho.É praticamente inadmissível que em pleno século XXI a sociedade ainda viva como no tempo das cavernas e que aceitam e respeitem somente aquilo que os convém e acreditam.Certo que cada um tenha sua opção e preferência religiosa e que dentro dela tenham as suas bandeiras e crenças, isso é fato, mais uma coisa permanece ou deveria permanecer, em grande parte dessas religiões o amor incondicional, por esse amor respeitamos as diferenças e entre elas a opção sexual do ser humano.

Em minha vã opinião sou contra um dia especifico para varias datas, entre elas o Dia do Orgulho LGBTI , porque?Bom pelos simples fato de que não deveríamos nem pensar em questionar as escolhas de outra pessoa, isso não compete a ninguém, senão a ela mesma, que é a única responsável por suas escolhas.Mais já que existe um dia e é 28 de junho, vamos refletir sobre nossas atitudes, em especial aos homofóbicos e aqueles que acreditam na cura gay, é ridículo isso, não podemos chamar opção sexual de doença e se podemos, então podemos também chamar o hetero que trai de doente?Bom são situações bem distintas e difícil de responder, se é difícil se coloque no lugar dessa parcela da sociedade que todos os dias precisam enfrentar uma sociedade totalmente homofóbica e culturalmente preconceituosa.

O que precisamos entender é que mesmo não aceitando a situação é preciso respeitar as escolhas, seja ela qual for de cada um, a partir do momento em que entendermos isso, vamos começar a ter uma sociedade mais igualitária. Respeitar é o primeiro passo para o sucesso.Os crimes contra a comunidade LGBT são alarmantes e conforme o Grupo Gay da Bahia (GGB) registrou um aumento de 30% nos homicídios de LGBTs em 2017 em relação ao ano anterior, passando de 343 para 445. Segundo o levantamento, obtido pelo GLOBO, a cada 19 horas um LGBT é assassinado ou se suicida vítima da “LGBTfobia”, o que faz do Brasil o campeão mundial desse tipo de crime. A maior parte dos crimes cometidos com arma de fogo e na rua.

Esses dados me fazem pensar o que temos aprendido, será que dentro dos lares brasileiros não está sendo pregado o amor incondicional? Já que o Brasil é considerado um pais onde a maioria dos habitantes são religiosos, fica a pergunta, o que os lideres tem ensinado aos seus fiéis, a intolerância as diversidades?Que essa data seja marcada pela lembrança de que o mundo é para todos e que a minoria tem tanto direito quanto a maioria. O Brasil e mundo que eu  quero é que todos se amem e   se respeitem, independente de opção sexual, afinal toda forma de amor é válida e pode não ser aceita por mim ou por você, porem precisamos respeitar as escolhas do outro.Ana Paula Barros é Funcionária Pública e Jornalista em Cuiabá.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.