Terça-feira, 07 de Julho de 2020

Artigos
Terça-feira, 02 de Junho de 2020, 15h:30

CAMILA DELGADO

Compulsão alimentar e as emoções

CAMILA DELGADO

A ansiedade, depressão  e outros traumas podem gerar diferentes respostas aos  hábitos de vida, um deles é o Transtorno de Compulsão Alimentar (TCA). Algumas pessoas direcionam suas tristezas e anseios em vícios como drogas, álcool e a comida.

 

Se procurar um nutricionista para tratar compulsão, saiba que você ira precisar muito mais do que isso. O psicólogo tem o papel fundamental nesse processo.


A compulsão é um distúrbio alimentar provocado pela necessidade de comer mesmo quando não se sente fome, facilitando o excesso de peso no indivíduo. No sistema nervoso central, a leptina interage como receptor hipotalâmico, favorecendo a saciedade. Indivíduos obesos têm maiores concentrações deste hormônio e apresentam resistência à sua ação.


Os peptídeos intestinais, combinados a outros sinais, podem estimular (grelina) ou inibir (leptina) a ingestão alimentar.

A compulsão é um distúrbio alimentar provocado pela necessidade de comer mesmo quando não se sente fome


A leptina é produzida pelo tecido adipócito. Existem dois tipos de receptores para a leptina, os de cadeia longa (maior quantidade de aminoácidos) e os de cadeia curta (menor quantidade de aminoácidos) encontrados no pâncreas. A leptina reduz o apetite a partir da inibição da formação de neuropeptídeos relacionados ao apetite.


A grelina é um peptídeo produzido nas células do estômago e está diretamente envolvida na regulação do balanço energético e ingestão alimentar.


O psicólogo é de grande importância para o tratamento do TCA. Como a compulsão vem de um estimulo produzido em nosso sistema nervo, é preciso tratar mais a fundo para identificar os gatilhos e fatores que desencadeiam este comportamento.


No entanto, alguns alimentos podem ajudar na saciedade. Entre eles se destacam o gengibre, abacate, pimenta-caiena, maçã, ovo, batata-doce e linhaça.

Camila Delgado é nutricionista com especialidade em nutrição esportiva.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.