Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

Artigos
Sexta-feira, 22 de Junho de 2018, 16h:55

Isandir Oliveira de Rezende

Comemorar o mês mundial de Conscientização Contra Idoso! Sim é possível.

Isandir Oliveira de Rezende

Comemorar o mês mundial de Conscientização Contra Idoso! Sim é possível.

Na mais absoluta certeza, o mês de junho, sem dúvida é um dos meses do calendário com duas datas relevantes e ambas além de comemorativa, reserva um espaço para a reflexão. De um lado, o movimento do comércio se aflora em alto som, e independentemente da idade que tenhamos, como firmes consumidores, não deixamos de oferecer um simples botão de rosa, renovar a fidelidade a amada, e assim vice-versa. Do outro lado, a data que se comemora também no mês de junho, em todo o Mundo é a Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. E automaticamente nas reflexões, pensamos de como será o meu dia de amanhã? Se lá chegarmos e tornarmos pessoas idosas.

Mas diante de tantos episódios decepcionantes que vem ocorrendo nos últimos 12 anos, que dispensa comentários, em meio a política seja ela regional ou nacional seria hipocrisia achar que há de fato algum interesse em políticas públicas voltadas para mudar a atual realidade, por isso temos que passar analisar e consequentemente escolher melhores pessoas que compõe o quadro de cada partido, seus projetos e propostas. E sem resenha de ter que pertencer da esquerda, meio ou da direita.

Hoje a insegurança tem gerado e diria causado um estrago enorme na grande maioria do povo brasileiro. Precisamos sim, de gestores, legisladores comprometidos com a construção de projetos de natureza administrativa contínua, não importando quem foi o criador da implantação.

E acredite! Isso é possível e pode ser realizado. Vejamos! O anterior gestor administrativo do município de Cuiabá, que criou o projeto dos Parques, buscou recurso e o materializou, entregando a sociedade uma obra que podemos chama-la como denominador comum, pois, é de todos e para todos. Isso é democrático. Já, o atual gestor do Estado, através da Caravana da Transformação, devolveu a dignidade de voltar a enxergar para mais de 50 mil pessoas idosas, sendo do total 13.952 residentes e domiciliados na nossa Baixada Cuiabana. Isso é bem comum, isso é construir a democracia.

Por isso afirmo que é possível fazer, portanto, a execução de um projeto precisa ter a frente pessoas incorporadas e compromissadas a assumir o verdadeiro papel do Estado e assim o representar. E por acompanhar este trabalho de perto, se tratando de pessoa idosa, indigno seria não compartilhar com todos o registro a mim enviado pela Coordenadora Simone Balena de Brito, em que diz:

“Construir um serviço de atenção à saúde ocular, necessário ao bem maior que temos, a nossa população, população essa esquecida em necessidades básicas, como a que trabalhamos com mais intensidade “a catarata”, doença senil que todos nós desejamos passar.

Almejar viver muitos anos e ter o direito de ir e vir, como manda a nossa Constituição, é o desejo de todos nós. Ter um Estado com dimensão territorial e especificidades como o nosso, tornou se um desafio, que superamos a cada Edição da Caravana da Transformação.

Sem Rede SUS de atenção à saúde ocular, unimos forças, Estado Municípios e Pacientes, que aguardavam a anos na fila de espera do Sistema Único de Saúde, e conseguimos levar as 14 Edições, 88.171 pacientes. Realizamos nosso trabalho com amor e atenção humanizada, retribuído incondicionalmente por todos.

Gratidão é o sentimento que irá perdurar no nosso dia a dia, pois contribuir para que uma pessoa volte a enxergar, viver e sentir isso diariamente nas Edições é inexplicável. ”

Sem dúvida, ter o privilégio de provar da experiência é acreditar no desafio que ainda podemos mudar. Se todos nós, como brasileiros, fizermos um minuto de reflexão todas as manhãs, e na sua intimidade imaginar como deseja ser o seu futuro como idoso, se lá chegarmos, fica a certeza que nenhum negará um simples sorriso aquele que tanto precisa de todos nós.

Isandir Oliveira de Rezende é Advogado, Presidente da Comissão de Direito do Idoso da OAB-MT e Especialista em Direito Previdenciário.

 

 

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.