Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

Artigos
Sexta-feira, 22 de Junho de 2018, 13h:20

Ana Paula Barros

A velha e boa política está ai!

Ana Paula Barros

O país vive hoje vésperas de eleições, em Mato Grosso assim como no cenário nacional, os eleitores vivem um bombardeio de informações, denúncias, prisão de representantes de vários grupos políticos atuantes no Estado a mais de 20 anos. A "velha" política está aí, e segue mostrando todo seu potencial, para disseminar intrigas, dúvidas e vencer as eleições.

Nas rádios e TVs vemos os mesmos candidatos e seus aliados, concedendo entrevistas, ora brigando com o grupo “concorrente, e quando não seus” funcionários" exaltando seus OBRIGATÓRIOS trabalhos no cargo que ocupam, explorando a rede social, que com certeza será o marketing dessa eleição, já que o prazo de campanha será muito curto, explorando seus feitos com representantes sindical, secretários e subsecretários e demais funções em que detém o poder e a máquina de divulgação.  Ainda existem as trocas de favores e candidatos e pré-candidatos preferidos das mídias.  Até quando sustentaremos essas mentiras de um sistema falido?

Esse processo não acontece somente em Mato Grosso, mais no país como um todo, pesquisado as redes de outros Estados e seus possíveis candidatos visualizei a mesma situação, todo mundo quer ganhar, quer um espaço no meio político, mais poucos tem trajetória social, de ajudar a parcela esquecida da sociedade, os menos favorecidos.

Existe ai uma proposta diferente para as eleições de 2018, o mandato coletivo, modelo esse que já foi implantado na eleição passada e parece estar dando certo em uma cidade do estado de Goiás. Esse modelo apresenta uma nova forma de se fazer política no Brasil, mais os nossos políticos parecem não estar muito interessados já que teriam que dividir o salário e as decisões em coletivo, acredito que ninguém queira dividir o dinheiro que está no bolso.

Bom, mais a proposta está ai e é legal, uma nova forma de se fazer política, planejar e expandir para além do institucional, apoiando e participando de iniciativas que fortaleçam a cidadania e a atuação conjunta de entidades e movimentos sociais em busca de um bem. As decisões sobre as ações a serem tomadas e os votos durante as sessões serão tomadas pelo grupo.  Os membros são os responsáveis, por exemplo, em trazer questões sobre demandas ambientais, culturais, saúde, educação, segurança etc.

É lamentável que em meio a toda nossa indignação com tudo que descobrimos até aqui sobre como funciona de fato a política em Mato Grosso, enfim no Brasil, ver que eles nem se dão o trabalho de mudar à forma ultrapassada de fazer política, nós brasileiro não nos revoltamos e continuamos votando nos mesmos que ai estão e nada fazem. Só não é mais desanimador porque temos alguns bons nomes que estão se colocando na corrida por uma vaga nos poderes executivo e legislativo, então vamos nos atentar a esses nomes e diga não a reeleição.

Ana Barros é Jornalista e Funcionária Pública em Cuiabá. 

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.