Amazonino Mendes é diplomado governador do Amazonas

Reprodução/Redes Sociais

Amazonino Mendes (PDT) e Bosco Saraiva (PSDB), eleitos governador e vice na eleição suplementar realizada em agosto no Amazonas, foram diplomados nesta segunda-feira (2) pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-AM). O documento marca o fim do período eleitoral, confirma a vitória nas urnas e torna os dois políticos aptos a tomarem posse dos cargos. Em discurso emocionado na solenidade, Amazonino lembrou que este é seu quarto mandato como governador e ressaltou que pretende reconstruir o Amazonas.

“Vamos reconstruir aquilo que foi destruído e reerguer a capacidade de prestar bons serviços ao nosso povo, com prioridade máxima aos menos favorecidos. Vamos garantir que nossos professores, policiais, médicos, enfermeiros e servidores trabalhem com tranquilidade com a garantia de ter seus salários em dia e os seus esforços reconhecidos por todos. Vamos sanar as nossas contas públicas com responsabilidade para garantir o dia de hoje e o de amanhã. Vamos escolher a dedo as obras mais urgentes e acelerar suas conclusões”, afirmou Mendes.

Ainda na cerimônia de diplomação, o novo governador anunciou nomes para nove secretarias e órgãos do estado, com destaque para a pasta de segurança pública, que terá como secretário o vice-governador Bosco Saraiva. “Nós pretendemos fazer uma radical reforma administrativa, inclusive, um novo organograma do estado. Uma filosofia de governo que foi abandonada há 15 anos deverá voltar, revestida dos reforços modernos, da modernidade, da contemporaneidade”, ressaltou.

A posse dos eleitos foi marcada pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) para o dia 10 de outubro. Amazonino e Bosco recorreram à Justiça para que a data seja antecipada. “A diplomação nos dá o direito de fazer isso. Temos que aguardar a decisão da Justiça”, disse Amazonino.

Amazonino Mendes e Bosco Saraiva vão cumprir um mandato tampão até a eleição de 2018. Eles assumem o governo do Amazonas no lugar de José Melo (PROS), e Henrique Oliveira (SD), que tiveram os mandatos cassados em maio pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por compra de votos na eleição de 2014. O presidente da Assembleia Legislativa, David Almeida (PSD), assumiu o governo interinamente. As informações são da Agência Brasília.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*