Terça-feira, 14 de Julho de 2020

Agronegócio
Quarta-feira, 03 de Junho de 2020, 15h:15

ESTIMATIVA

Produção de milho deverá atingir um recorde de 102,72 milhões de toneladas

Agrolink

A produção de milho do Brasil em 2019/20 deverá atingir um recorde de 102,72 milhões de toneladas, disse nesta quarta-feira a consultoria Datagro, elevando levemente sua estimativa, que no mês passado figurava em 102,18 milhões de toneladas.

Caso a projeção se confirme, a produção combinada das duas safras do cereal no país deve superar em 1% a máxima histórica verificada no ano anterior (102,08 milhões de toneladas), puxada por um aumento 6% na área cultivada, que atingiu 18,74 milhões de hectares, disse a Datagro.

A estimativa de produtividade foi reduzida para 5.346 quilos por hectare, versus 5.473 vistos em maio.

A segunda safra, principal do milho no Brasil, deve somar 76,77 milhões de toneladas na temporada, leve revisão altista em relação aos 76,58 milhões de toneladas da previsão anterior, segundo a consultoria.

A Datagro vê a área plantada com a chamada “safrinha” atingindo 14,36 milhões de hectares, avanço de 7% na comparação anual. 

“Além da menor janela de plantio por conta do atraso no plantio da soja, que limitou o avanço da área, temos as perdas parcialmente contabilizadas neste levantamento pelo quadro de chuvas escassas em abril em parte da região produtora”, disse em nota o coordenador de Grãos da Datagro, Flávio França Junior.

A consultoria projetou ainda a safra de verão de milho em 25,95 milhões de toneladas, recuo de 0,5% em relação à primeira safra do ano passado. O potencial foi afetado pela irregularidade das chuvas e por perdas na região Sul.

SOJA
A Datagro também elevou sua previsão para a safra de soja 2019/20 do Brasil, passando a estimá-la em 122,06 milhões de toneladas, ante 121,26 milhões de toneladas no mês passado. O volume supera em 2% a produção do ano anterior.

A área cultivada com a oleaginosa no país teve alta de 3% na comparação anual, a 36,91 milhões de hectares, mas a safra acabou impactada por fortes perdas no Rio Grande do Sul, terceiro principal Estado produtor do país, onde o rendimento ficou 44% aquém do ano anterior por causa da seca.

“No balanço final, podemos afirmar que o clima na temporada acabou sendo um pouco pior do que na safra passada, com perda na produtividade média em 5 dos 18 Estados produtores”, disse França Junior, ressaltando os prejuízos da safra gaúcha.

Mesmo assim, a produção brasileira, se confirmada a estimativa da Datagro, ficaria próxima do recorde de 122,30 milhões de toneladas registrado em 2018, concluiu a consultoria.

Comentários










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.