Aécio Neves retoma mandato no Senado e critica atuação do Ministério Público

Agência Senado

O senador Aécio Neves, do PSDB de Minas Gerais retomou seu mandato parlamentar ontem (4) após mais de cinquenta dias fora do Senado. Ele estava afastado desde o dia 18 de maio por decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, mas na última sexta-feira, o ministro Marco Aurélio reverteu a decisão de seu colega, possibilitando o retorno do senador ao Congresso.

Ao chegar no plenário do Senado, Aécio recebeu os cumprimentos de vários senadores e fez um discurso lembrando sua trajetória política como militante pelas Diretas Já, nos anos 80, e como governador de Minas Gerais. Ele se defendeu das acusações de corrupção.

O senador criticou seu afastamento, afirmando que a decisão foi uma grave violação da Constituição Federal. Ele também criticou os benefícios dados ao empresário Joesley Batista pelo Ministério Público em seu acordo de delação premiada. Aécio disse que os benefícios assombram e enchem de indignação os brasileiros. E também mencionou o apoio de seu partido ao governo do presidente Michel Temer.

O senador Randolfe Rodrigues, da Rede, autor da representação no Conselho de Ética do Senado pedindo a cassação do mandato de Aécio Neves, afirmou que com a presença dele no Congresso, o andamento do pedido de cassação será mais difícil.

O retorno do senador Aécio não encerra os processos no STF e no Senado contra ele. O Conselho de Ética do Senado deve se reunir na próxima quinta-feira para analisar o recurso feito pelo senador Randolfe Rodrigues contra o arquivamento do pedido de cassação. As informações são da RadioAgência Nacional.
Exibindo central.PNG

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*